6 de jun de 2019

Modelo diz como Neymar a violentou

Laudo médico é devastador

Najila Trindade concedeu entrevista ao SBT ontem, 05/VI
Da Fel-lha:

Mulher diz que Neymar ignorou apelo e forçou ato sexual sem camisinha

A mulher que acusa Neymar de abuso sexual afirmou ter sido vítima de agressão e estupro no quarto do hotel em que estava com o jogador, em Paris, no dia 15 de maio. Najila Trindade Mendes de Souza concedeu entrevista ao SBT, nesta quarta-feira (5).

"Eu fui vítima de estupro. Agressão juntamente com estupro", disse.

Najila diz ter alertado Neymar que não queria ser penetrada, já que ele estava sem preservativo. Ela afirmou que o atleta da seleção brasileira a agrediu e ignorou seus apelos.

É a primeira declaração pública da suposta vítima desde que o caso foi revelado, no sábado (1º). Ela contou ter conhecido Neymar por meio de redes sociais e foi convidada para ir à capital francesa encontrá-lo.

​"Eu conversei com ele com intuito sexual. Era um desejo meu. Ficou até claro para ele isso. Ele perguntou quando eu poderia ir. Disse 'no momento não posso por questões financeiras'. Não poderia ir. Também por agenda do meu trabalho. E daí ele sugeriu: 'eu posso resolver isso'", afirmou.

Segundo a modelo, Neymar chegou agressivo ao hotel onde ela estava. Najila disse que, além de agredi-la com tapas, o jogador do PSG consumou o ato sexual mesmo após apelo dela para que ele parasse.

"Ele estava agressivo, totalmente diferente daquele cara que conheci nas mensagens. A gente começou a trocar carícias, ficar e se beijar. Ele me despiu. Até aí, tudo bem. Só que depois ele começou a me bater", afirmou.

"Nos primeiros [atos agressivos], ok. Só que depois começou a me machucar muito. Falei: 'para, está doendo'. Ele falou: 'desculpa, linda'. Continuamos. Falei: 'você trouxe preservativo?' Ele disse que não. 'Então não vai acontecer nada além disso'. Ele não respondeu nada. Ele me virou, cometeu o ato [sexual] e continuava batendo na minha bunda, repetidamente. Foi rápido, eu me virei e saí do quarto. Eu falei: 'para, para, para'. Ele não se comunicava. Só agia", explicou Najila.

Mais de uma vez, ela afirmou que Neymar havia entendido o pedido para parar.

"Ele tinha entendido que não poderia ir além. Depois, quando me levantei e fui ao banheiro, não acreditei. Fiquei estarrecida. Não consegui falar nada para ele, não consegui xingar, não consegui falar nada para ele. Depois ele levantou, foi para o banheiro. Ele entrou por uma porta, eu saí pela outra", completou.

Najila disse estar com problemas financeiros, mas negou ter intenção de ser indenizada pelo jogador da seleção brasileira.

"Eu quero justiça. Ele me fez muito mal. Eu quero que ele pague pelo que ele fez. Eu tenho consciência do que o que aconteceu representa para mim. Era uma questão de honra. Não precisava ser do jeito que foi. Era um desejo meu, eu sou livre, desimpedida", afirmou a modelo, que explicou ter continuado as conversas no dia seguinte para tentar reunir provas da agressão. (...)

Em tempo: leia, abaixo, o laudo médico de Najila Trindade, elaborado após consulta no dia 21/V:


(se a imagem não abrir, veja aqui)

No CAf

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.