8 de mai. de 2019

Frutas, grosserias e estupidez


Ainda antes de a campanha eleitoral começar, fomos apresentados a uma senhora conhecida como Val do AÇAÍ. Depois da eleição, ficamos conhecendo um LARANJA da família presidencial de sobrenome Queiroz (onde andará este senhor que até hoje não conseguiu ser localizado pelo MP-RJ para dar seu testemunho presencial? Haja dificuldade seletiva!). No caso do LARANJA, descobrimos que não era um só, além do caso Queiroz, havia pelo menos dois laranjais do PSL, um em Pernambuco e outro em Minas Gerais.

Depois, soubemos que Jesus subiu em um pé de GOIABA. Mais adiante, vimos o presidente passar um dia inteiro dedicado a chupar MANGA (fruta que, segundo a ministra da Agricultura, evita a fome no país), ouvimos que a BANANA do Equador é um fantasma a assombrar o Brasil, aprendemos que a Presidência da República é um ABACAXI e, finalmente, descobrimos aliviados que a exportação de três cargas de ABACATE para a dinâmica e potente economia argentina é um grande feito econômico do Brasil. Uau! Que governo frutífero!

Além do festival de frutas, faz quatro meses que assistimos espetáculos sucessivos de grosserias e estupidez. O ministro da Economia – que na fase de transição já tinha sido extremamente grosseiro com uma jornalista – desfilou seu arsenal de desrespeito nas duas casas legislativas. O presidente da República decidiu brindar os brasileiros com uma postagem de extremo mau gosto com um vídeo de golden shower, durante o carnaval.  Ele próprio e seus filhos – em particular o 02 e o 03 – transformaram as agressões, via redes sociais (a jornalistas, adversários políticos e, para nossa surpresa, aliados) em uma diversão familiar, em particular nos finais de semana.

O festival de estupidez tem superado todo o resto. Descobrimos que o ministro da Justiça é um mentecapto, que o Itamaraty está nas mãos de um despreparado chorão e que os ministros da Educação (o anterior e o atual) são totalmente desqualificados para o cargo que assumiram. Aliás, o MEC tem presenteado os brasileiros com festivais de demonstração de despreparo, em particular no INEP, onde um ex-presidente falou em cidadões (SIC), em seu discurso de posse, e o atual, na companhia do próprio ministro, protagonizou uma das cenas mais vexatórias que já tivemos a oportunidade de assistir, ao confundir R$ 500 milhões com R$ 500 mil e ainda se gabar dizendo “missão dada, missão dada…” (lembrando-se que o ministro, que participou da lambança, é economista, embora tenhamos sido informados de que seu desempenho universitário foi um desastre, o que foi comprovado por seu histórico escolar). Cansei!

Jorge Alexandre Barbosa Neves – Ph.D, University of Wisconsin – Madison, 1997. Pesquisador PQ do CNPq. Pesquisador Visitante University of Texas – Austin. Professor Titular do Departamento de Sociologia – UFMG
No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.