13 de mar de 2019

Dallagnol advoga interesses dos EUA contra os interesses do Brasil


Ao tentar explicar o inexplicável e inconstitucional acordo bilionário firmado pela Lava Jato com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, Deltan Dallagnol assumiu que advoga interesses dos EUA e atua contra os interesses nacionais.

Em vídeo [ver aqui, minuto 3:10”], o coordenador da Lava Jato explicita porque, na visão dele, os R$ 2,5 bilhões de multas da Petrobrás não deveriam ser carreados para os cofres da União: porque “nesse caso, os Estados Unidos poderiam entender que não é adequado que o dinheiro fique no Brasil”.

Ou seja, o funcionário público que recebe salário nababesco e muitas regalias e privilégios pagos pelo povo brasileiro, defende não os interesses do Brasil, mas os interesses e as imposições feitas por um país estrangeiro.

Raquel Dodge, a chefe geral do MPF – portanto, também chefe formal dos lunáticos de Curitiba que pretendem criar um Estado Paralelo e se constituir como facção de poder – finalmente pediu ao STF que anule este absurdo acordo.

A anulação desse acordo que é ilegal, inconstitucional e indecente, contudo, é apenas o primeiro passo.

É preciso ir além e exigir a instauração de sindicância administrativa para julgar e demitir Deltan Dallagnol do cargo público de Procurador da República e também instaurar processo penal para julgá-lo e condená-lo por crimes de lesa-pátria que cometeu ao destruir a Petrobrás, o setor de engenharia nacional e milhões de empregos no Brasil.

O teor do despacho de Raquel Dodge ao STF contém os elementos necessários para esses 2 procedimentos – para a demissão de Dallagnol a bem do serviço público e para sua condenação penal.

Jeferson Miola

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.