17 de mar de 2019

Ciro, da Trupe Idiota

Uai Ciro, você pode zoar e nós não? Tá magoado com Zé de Abreu? Ele foi mais rápido, mais engraçado e contundente. Falam dele em todo o mundo, e de você?


Fosse mambembe seria dignificante.

Mais uma vez, Lula acertou ao desconsiderar seu apoio a Ciro Gomes nas últimas eleições. Perdeu, com Haddad, mas manteve a sua dignidade ao indicar alguém preparado e probo. Claro que se o formos comparar a Messias-Mito, estaríamos melhor. Pior, impossível.  

Gleisi, recentemente, foi bem ao dizer que Ciro “é um coronel oportunista, ressentido e covarde”. Alguns meses em Harvard não tirarão dele essa pecha.

Tenta ser histriônico, mordaz, irreverente. Para tanto disse: “Elegeram um garoto de 13 anos. Um adolescente tuiteiro”, referindo-se a Jair Bolsonaro. Somente ele percebeu.

Mas, graças a um Brasil medíocre, o cearense de Pindamonhangaba/SP, como Geraldo Alckmin, é levado em consideração. Pois bem, se isso não foi uma galhofa, um escracho, um deboche, o que o será?

Mas, como seu oportunismo é evidente, logo ataca a oposição (não tem coragem de dizer esquerda, pois nunca a ela pertenceu), assim “[ela] presa em rosa, azul e mamadeiras”.

Uai Ciro, você pode zoar e nós não? Tá magoado com Zé de Abreu? Ele foi mais rápido, mais engraçado e contundente. Falam dele em todo o mundo, e de você?

Em palestra/entrevista onde bestou, no IREE, foi indigno, vago, rancoroso.

Insignificante, também fui convidado a uma delas, que será reproduzida no final deste texto. Creio ter falado sério. Não estava atrás de votos.

“O que eu quero agora é voto”, Ciro afirmou. Deputado estadual, em São Paulo, talvez? Sentimento meu: para mais do que isso, nunca os terás suficientes e nem mesmo acredito que ganharia do Bozo, se tivesse ido ao segundo turno.

Se ganhasse, apenas seria pelo silêncio do capitão-da-reserva e sua providencial (?) facada.

O povão (depreciativo?) queria Bozo, o mito, o anti-Lula, cristianizado pelas folhas e telas da Federação de Corporações. O cento do ânus de seu filho corre risco, e não devemos temer anunciar. Ele gostará, o pai o reprimiu durante anos. Nós seremos os seus libertadores.

Ciro Gomes declarou: “a necessidade de um novo ciclo de industrialização, que supere a dependência de investimento estrangeiro e satisfaça o perfil de consumo das famílias brasileiras, ávidas por importados”. Bidu.

Continua: “É ilusão que vamos pagar esse modo de consumo moderno com feijão, soja, milho e carne in natura. Essa conta não fecha”.

Burro, essa a única conta que fecha, pois outra ainda não temos.

Vai mais longe: “A saída está em usar o poder de compra do Estado em três setores: o complexo da saúde, a agroindústria e o setor de defesa. A substituição de importações nestas áreas seria capaz de fazer florescer novas indústrias no País”.

Curioso, a torcida do Flamengo e do Corinthians também acham o mesmo.

Mas, infelizmente, Jair Bolsonaro afirma que a democracia no Brasil será aquela que as Forças Armadas quiserem. E aí, Ciro Gomes? Quero ouvi-lo.

(Indo em frente)

Pensando em obras coletivas (não exatamente grupos), dois álbuns do cancioneiro brasileiro, para mim, são seminais. Por coincidência, ambos foram lançados em 1972. Falo de “Acabou Chorar”, dos Novos Baianos, e do primeiro “Clube da Esquina”, de Milton Nascimento e seus mineiros.

Dos baianos, tomo a faixa “Besta é Tu”, composta por Pepeu Gomes, Luiz Galvão e Moraes Moreira, para proclamar que todos os que não votaram 17 deveriam ostentar este bordão em peitos, cartazes e adesivos.

Pois é, BESTA é TU!

Produtores agropecuários, exportadores de commodities ou não, e mesmo os muitos eleitores dele, inadvertidamente, irão perder benefícios da agricultura familiar com reflexo direto na comida sobre as mesas de brasileiros pobres.

Pois é, BESTA é TU!

Que votou, elegeu, e entregou a presidência da República a um incompetente, despreparado, de quem vocês não tinham qualquer noção, após 28 anos do nada fazer, só por que ele iria liberar umas armazinhas de tiro ou de toxidade para vocês.

Pois é, BESTA é TU!

Que não imaginou que Paulo “Keds”, para manter o ajuste fiscal, sacou que só poderia tirar dinheiro de quem trabalha no campo, na forma de taxas pra cobrir os rombos abissais dos Estados.

Pois é, BESTA é TU!

Que esqueceu a bonança entre 2003 e 2015, graças a um estadista, hoje na prisão por delações premiadas qualquer nota, depois de ter vencido a maior crise da economia mundial desde 1929 (2007/8).

Pois é, BESTA é TU!

Que o trocou por um mi(n)to que agora elimina ou diminui os direitos da aposentadoria de trabalhadores urbanos e rurais.

Pois é, BESTA é TU!

Que acreditou que ele mexeria com o sistema hereditário de aposentadorias de filhos e netos de militares e altos funcionários do Judiciário?

Pois é, BESTA é TU!

Que não sabe que o “Guru” nunca passou de um consultor de baixo escalão nem comandou equipe de mais de duas pessoas.

Pois é, BESTA é TU!

Que perderá exportações com Tereza Cristina oficializando registros de agrotóxicos aos montões. Puta estardalhaço pra quê, se há muito tempo vocês os usam, pois, o Paraguai fica logo ali.

Pois é, BESTA é TU!

Que verá nossa biodiversidade ser vendida, a riqueza de suas gerações futuras, vocês eternos donos de terra. A vida os sorri hoje, mas não mais permanecerá, a continuarem os erros de geopolítica e relações comerciais com nossos clientes de maior potencial de compras.

Pois é, BESTA é TU!

Por se amasiarem com os EUA e Donald Trump, seus maiores concorrentes, com colheitadeiras, agricultura de precisão, Big Data, moléculas químicas e tóxicas cada vez mais modernas. Tudo deles e para o bolso deles, pago pelos seus.

Pois é, BESTA é TU!

Incertezas que não haveriam: subsídios da Lei Kandir, escolha errada no alinhamento de países, câmbio no atual patamar até as reformas empacadas, como serão cobrados os ICMS e qual será a decisão sobre a tabela de fretes. E o seguro rural, mais do que necessário, bem encaminhado por Dilma por ação de Kátia Abreu? Para calendas?

Pois é, BESTA é TU!

Afinal, abriremos a exploração de urânio aos investimentos privados. Nacionais? Coitados.

Mas se bestas são todos vocês, o que seremos nós? Bestas também, claro. Deixamos acontecer a tragédia, mesmo sabendo que 1/3 da renda nacional (28%) estão nas mãos do 1% mais rico. Temos a maior concentração de riqueza do planeta, depois da Turquia. Entre as dez maiores economias do mundo, o Bananão (saudades, Ivan Lessa) está em 79º lugar no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da ONU.

Com Lula, nosso índice de Gini só melhorou. Agora … temos 43,5% de nossas crianças vivendo na pobreza. Teria muitos outros índices para informa-los. Mas, ao contrário de meu modo de colunismo, estou achando tudo isso “um saco, como dar pipoca aos macacos” (Raul Seixas).

Passo, então, à galhofa que, felizmente, Zé de Abreu, a fez melhor que nós, no ano. Vamos lá:

Em 6 de março, o Valor fez publicar: “Índios serão consultados sobre mineração, mas não vão decidir, diz ministro (Bruno Albuquerque)”. Pensei que iriam. “Bestas, somos Nós”.  

E mais não digo, ou digo.



Rui Daher
No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.