22 de mar de 2019

Chefe de gabinete de Guaidó que foi preso liderava 'célula terrorista'

Imagem divulgada pelo MP venezuelano mostra a captura de Marrero e de seu guarda-costas
O Ministério Público da Venezuela disse na noite desta quinta-feira (21/03) que Roberto Marrero, chefe de Gabinete do autodeclarado presidente interino Juan Guaidó, foi detido por ser a “cabeça de uma célula terrorista” que planejava assassinatos seletivos. Além disso, o órgão afirmou que investiga uma suposta participação de Marrero no atentado contra o presidente Nicolás Maduro, ocorrido em 4 de agosto do ano passado.

“[Roberto] Marrero Rojas se encontra investigado por sua suposta vinculação com delitos que implicam a violação da ordem constitucional e a promoção do terrorismo, incluindo o intento de magnicídio do chefe de Estado [Maduro]”, afirma o Ministério Público.

“O Estado venezuelano garante que, no presente caso, serão respeitados todos os direitos constitucionais que assistem ao imputado, em concordância com o ordenamento jurídico internacional”, disse o MP, em nota.

Mais cedo, o ministro de Relações Interiores, Justiça e Paz, Néstor Reverol, havia anunciado a captura de Marrero e de seu guarda costas, Luis Alberto Páez Salazar, líderes de um susposto grupo terrorista que planejava assassinatos seletivos contra políticos, militares e magistrados do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ).

Marrero seria, segundo Reverol, "o responsável pela organização destes grupos criminosos" e foi detido com "um lote de armas de guerra e dinheiro em espécie em moedas estrangeiras durante uma apreensão realizada em sua residência nesta madrugada em companhia do Ministério Público".

Maduro

Por sua vez, o presidente Maduro disse que esta suposta “célula terrorista” teria como principais objetivos atacar quarteis militares, hospitais e serviços públicos, como as estações do metrô de Caracas.

“Os tribunais da República deram a ordem de captura de um grupo terrorista que conspirava para trazer mercenários da Colômbia e da América Central para atacar o país”, afirmou. “Estamos em pleno processo para desmembrar, desmantelar e entregar à Justiça todo o grupo terrorista.”

Prisão

A prisão de Marrero foi anunciada por Guaidó, pelo Twitter. Ele chamou as detenções de “sequestro”. “Desde as 2h24, funcionários do Sebin assediam as casas do deputado e chefe de bancada da VP, Sergio Vergara, e do chefe do meu gabinete, o advogado Roberto Marrero, mantidos sequestrados no local”, escreveu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.