9 de fev. de 2019

O depoimento do “sumido” sumiu da Veja


Ontem, reproduzi aqui uma nota da Veja, relatando o desparecimento  dos integrantes do gabinete do agora senador Flávio Bolsonaro cujos nomes aparecem nas transferências do amigo e ex-assessor Fabrício Queiroz.

Dos catorze endereços visitados, só em um o morador é encontrável. Mas corta imediatamente a conversa quando perguntado da razão do depósito que fez  na conta de Queiroz.

Hoje, a Veja trouxe uma nota, na coluna Radar, dizendo que um dos depositantes, Agostinho Moraes da Silva, vai atrapalhar a versão de Flávio Bolsonaro  (a de que nada tem com isso) ao depor ao MP.

A frase é misteriosamente correta: a Veja trouxe uma nota, mas não traz mais: a pagina foi retirada do ar, depois de se tornar a matéria mais lida do site. O link, agora, tem um ‘trashed’ que indica ter sido apagada.


Idem a postagem sobre ela no Facebook.

Acho que nem em filmes policiais americanos a Máfia consegue fazer com que desapareça uma dezena de testemunhas.

Ou isso, ou o medo da máfia.

Fernando Brito
No Tijolaço

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.