3 de jan de 2019

Primeira crise à vista no Congresso: a aliança PSL-Maia


De um observador da cena política de Brasília

O acordo surpreendente de Rodrigo Maia com o PSL, na realidade é uma aliança formal do DEM com Bolsonaro. Nessas condições tanto faz o presidente da Câmara ser Rodrigo Maia ou Joyce Hasselman.

Se eleito, o Maia vai estar atrelado ao Planalto a quem entregará as duas principais Comissões da Câmara, a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e a de Finanças. Na prática, o Planalto controlará a Câmara. Com isso o Centrão e as esquerdas ficam neutralizadas e não terão nenhum incentivo para votar no Maia, que até esse acordo era visto como uma barreira ao Planalto e não como aliado dele. 

Na minha percepção o Congresso, por instinto de sobrevivência, não vai se entregar assim facilmente ao bolsonarismo.

Poderá haver suas consequências:
  1. Maia vai ter como certos os votos do PSL e do DEM, insuficientes para
    elege-lo.
  2. Essa aliança deve ter desdobramentos e favorece a eleição de Renan no Senado.

Luís Nassif
No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.