26 de jan de 2019

A Vale não matava ninguém quando era estatal

Vargas criou a Vale para tirar o minério de ferro das mãos de um gângster


Em três anos, a empresa privada Vale matou 19 (em Mariana) e desapareceu com 300 brasileiros em Brumadinho.

Quando era estatal a Vale não matava ninguém.

Como se sabe, o "Príncipe da Privataria" (FHC) vendeu a Vale a preço de banana - por um valor inferior ao que a empresa tinha em caixa - por sugestão (desinteressada... ) do "Careca" (Serra), o maior dos ladrões.

Dali em diante, a Vale foi instrumento das técnicas privadas de "jestão".

Por exemplo, o semi-Deus Roger Agnelli, que co-presidiu a Vale.

Co-presidiu, porque compartilhou a "jestão" da empresa com a Míriam Leitão, que, da Globo, na qualidade de jornalista mais vista do mundo, a mais valiosa, sem similar nem na China, co-presidia a empresa.

A mesma função de co-presidenta ela desempenhou na Globo e na vitoriosa "jestão" do Pedro Malan Parente, que detonou a Petrobras e o Governo Temer!

Três "jênios"!

Agnelli mandava comprar navios em Cingapura, demitia funcionários com facão afiado e se meteu numa estranhíssima encrenca na África, na virtuosa companhia do banqueiro André Esteves.

Agora, a Vale está nas mãos de um executivo do tipo head-hunter, que preside uma mineradora como presidiria uma barraquinha de pipocas ou uma franchise da Kopenhagen do filho do Bolsonaro: cortar custos, demitir e gerar lucros para os acionistas.

Para isso, estava em Davôs, como diz o Doria.

A Vale tem que ser re-estatizada.

Para parar de matar gente, de três em três anos.

Para voltar a fazer política de desenvolvimento regional e não se limitar a ser uma empresa predadora e espoliadora.

Getúlio Vargas criou a empresa estatal Companhia Vale do Rio Doce em 1942, para retirar do gângster americano Percival Farquhar o monopólio que detinha sobre o minério de ferro brasileiro.

FHC e Serra queriam destruir o legado de Vargas.

E doá-lo a outros americanos (muitas vezes também gângsters como Farquhar).

O minério de ferro não dá duas safras!

A Vale é nossa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.