16 de dez de 2018

Bolsonaro chega em 2019 envolto em escândalo de corrupção


Diferente das outras sucessões presidenciais da história democrática republicana e contrariando a expectativa popular, o presidente eleito subirá a rampa em meio ao inesperado escândalo dos depósitos descobertos pelo COAF, envolvendo seu filho e a futura primeira dama.

Parte do R$1,2 milhão que o motorista do filho movimentou e o depósito suspeito na conta da esposa ainda aguardam a indignação dos veículos das Organizações Globo, as manifestações desesperadas dos que surtam diante da simples menção de algum indício de corrupção e um pronunciamento decente do homem que deixou o cargo de “moralizador geral da nação” para se tornar perdoador oficial do grupo para o qual militava.

Na Globo, dificilmente veremos uma cobertura nos moldes da que acostumamos a ver contra petistas.  Por ora, a boca do Merval não deve espumar nenhuma uma gota de saliva que respingue o  bigode.

Não espere também capa Veja com hidras e dragões saindo das cabeças de Lula e Dilma.

Mas numa coisa dá para apostar: como presente de fim de ano, o clã dos ”homens de bem” deve receber um generoso perdão público do mais novo jagunço de luxo.

Até o momento a resposta do “homem do dedo pro alto, engatilhado” foi a previsível desculpa esfarrapada.

O ” motorista” que movimentou mais de R$ 1 milhão, sacando com a desenvoltura de um Montanaro, pediu  ’40 merréis’ emprestados para pagar em suaves parcelas.

Ao pagar a “dívida”, o parceiro de todas as horas deposita na conta da esposa porque o generoso credor alegava não ter tempo de ir ao banco.

Convenhamos, uma explicação à altura do cérebro dos que caíram no conto do boquirroto que há 30 anos vive à custa do dinheiro público, empregando a família (sua e dos amigos), sem fazer nada de útil para a sociedade.

Seu principal “linha de frente” está enrolado até os últimos fios de cabelo que lhe restam. Aí, na hora de dar explicações, “solta a franga inteira” pra cima de um repórter. E isso é só o começo.

Agora, vamos ao que interessa.

O problema nunca foi a corrupção, tampouco a moral da família brasileira.

Pode aparecer vir à tona desde esquema de corrupção a uma bandalheira inimimaginável envolvendo pastor, policial, ator-pornô e barbie-pistoleira.

A classe média nacional não vai estar nem aí.

Ela não escolheu quem escolheu para moralizar alguma coisa. Mas, para garantir, à base de exclusão, porrada e sangue derramado (se necessário for), a vergonhosa divisão social brasileira.

Ele foi eleito para assegurar  o velho acordo do “eles lá e nós aqui”, que andou fraquejando nos últimos anos.

Quem ainda espera indignação de quem o apoiou é possível que dê de cara com esta realidade: aquele familiar, vizinho, amigo de infância, talvez não fosse o tão “bem intencionado” , como você supunha.

O silêncio ensurdecedor de quem outrora falava pelos cotovelos revela uma sociedade com traços autoritários.

Há pais e mães de família dando um ‘cheque em branco’ para o genocídio dos mais pobres, se esse for o ”preço” para andar tranquilo na rua e não ter que “dividir” parte do bolo de privilégios recebido de mão beijada.

Tempos mais terríveis estão por vir no  Brasil.

A violência foi principal trunfo eleitoral. Assim, diante da inevitável crise que se avizinha, uma ”bomba”  pode ser acionada para ”resolver o problema”.

O nome disso é fascismo. Ele surge de um apetite social por medidas enérgicas na base do “custe o que custar”, cresce no terreno da irracionalidade e ganha forma num líder que precisa apenas do seu próprio ódio e sede de destruição para dar conta do recado.

Adilson Filho
No Viomundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.