13 de nov de 2018

Fernando Bittar reafirma que é dono do sítio de Atibaia e diz que obras foram “superdimensionadas” na denúncia


Fernando Bittar reafirmou em depoimento à juíza Gabriela Hardt nesta segunda-feira que o sítio de Atibaia é de sua família e que foi emprestado a Lula e à mulher dele, Marisa Letícia, falecida.

Negou ser laranja de Lula e disse que as obras feitas na propriedade eram para abrigar o acervo presidencial trazido de Brasília.

– Na minha cabeça, eles iam pagar, afirmou Bittar, ao ser perguntado se tinha ideia do valor das reformas.

Segundo Bittar, Jonas Suassuna comprou a outra parte do sítio apenas para ajudá-los, já que o antigo proprietário só vendia as duas partes juntas.

Bittar, que chama a ex-primeira dama de “tia”, afirmou que as duas famílias são amigas há 40 anos e que Lula e Marisa levaram o pai dele, Jacó Bittar, para morar em Brasília quando foi diagnosticado com mal de Parkinson.

Achou normal quando o pai, que havia lhe pedido para comprar o sítio, decidiu emprestá-lo a Lula.

Segundo ele, as obras foram “superdimensionadas” na denúncia.

“São quartos simples, feitos com material de segunda. A adega não é uma adega; é um quarto de empregada. Não foi uma adega de cinema, nada disso; foi um quarto adaptado”, relatou.










Depoimento de Roberto Teixeira




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.