3 de out de 2018

MP do Trabalho decide processar dono da Havan por coagir funcionários a votar em Bolsonaro

Luciano Hang divulgou um vídeo, no qual ressalta que “se a esquerda ganhar” fechará lojas e demitirá empregados, o que foi considerado pela procuradoria uma maneira de coação


Após circular um vídeo nas redes sociais, no qual o proprietário da rede de lojas Havan, Luciano Hang, afirma que faz pesquisas com seus funcionários sobre em quem eles vão votar para presidente e, além disso, pede votos a Jair Bolsonaro e diz que não aceita que eles escolham candidatos de “esquerda”, o Ministério Público do Trabalho em Santa Catarina (MPT-SC) ingressou, nesta terça-feira (2), com uma ação judicial contra a rede. Na mensagem, Hang ressalta que “se a esquerda ganhar” fechará lojas e demitirá empregados, o que foi considerado pela procuradoria uma forma de coação, de acordo com informações de Marcello Corrêa, de O Globo.

O vídeo foi veiculado em uma rede interna, dirigida a colaboradores. No entanto, passou a circular nas redes sociais na segunda-feira (1). A partir daí o MPT recebeu pelo menos 27 denúncias. O órgão fez uma solicitação de tutela antecipada, para que a Justiça proíba o empresário de pedir votos aos trabalhadores de sua empresa. Agora, a Justiça do Trabalho vai decidir se concede ou não a liminar.

No Fórum



Ameaçador de empregados pegou R$ 48 mi do BNDES de Lula/Dilma


A Procuradoria Eleitoral abriu inquérito contra um certo Pedro Zonta, dono da maior rede de supermercados do Paraná, o Grupo Condor, que mandou carta aos funcionários pressionando para que votem em Jair Bolsonaro e que  “a esquerda” vai promover “a desestruturação da empresas brasileiras”.

Os jornais publicam o assunto mas, para que você compreenda o que de fato significa o que estes picaretas estão fazendo, o Tijolaço foi buscar os valores que eles tomaram no BNDES, nos governos Lula e Dilma, para expandir os seus negócios e se exibirem como campeões da livre iniciativa.

O Grupo Condor fez nada menos que 38 operações de crédito subsidiado, num total de R$ 48.876.118,00, em valores não corrigidos, em financiamentos com juros entre 2,5 e 7,5% ao ano.

Ao menos cinco vezes mais baixos do que encontrariam no mercado.

Pelos dados públicos do BNDES não é possível saber se usou todo o valor, nas, a estes juros, difícil que não tenha aproveitado.

Dê uma olhada ao final do post, estão listados um por um os empréstimos.

Este é o caráter da parte dos empresários brasileiros que está chantageando seus empregados.

Sugaram nas tetas do Estado e, agora, arrotam a sua competência subsidiada para chantagear trabalhadores.

Num post próximo, vou mostrar os negócios da Havan, que está uniformizando e colocando em ordem unida seus trabalhadores para apoiar Bolsonaro.


Fernando Brito
No Tijolaço

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.