31 de out de 2018

Eduardo Bolsonaro sendo bolsonaro

Em mensagem em seu Twitter, o filho do presidente eleito tenta analisar o papel do novo Legislativo, mas comete gafe


Eduardo Bolsonaro, filho do presidente eleito, cometeu nova gafe em sua conta no Twitter. O deputado federal mais votado da história nacional escreveu uma mensagem na rede social, tentando analisar o papel da nova configuração do Poder Legislativo: “Num legislativo onde os conservadores ganharam força não haverá desperdício de tempo com pautas ideológicas que vão contra nossa cultura. A prioridade será aquilo que de fato prejudica a vida dos brasileiros”.

O filho de Jair Bolsonaro costuma cometer deslizes em suas redes sociais. Recentemente, antes do segundo turno das eleições presidenciais, ele publicou: “PT e Andrade cada vez mais no fundo do posso”, trocando a palavra “poço” por “posso”. Ele se referia a uma matéria do jornal O Estado de S.Paulo, que trazia na manchete: “TSE nega pedido de Haddad para suspender propaganda de Bolsonaro”.

Bolsonaro filho também causou polêmica quando deu declaração, no mínimo desrespeitosa e em tom de ameaça, sobre o Supremo Tribunal Federal (STF). Durante uma palestra, pouco antes do primeiro turno, ele afirmou que se o STF impugnasse a candidatura do pai “terá que pagar para ver o que acontece. Será que eles vão ter essa força mesmo? Se quiser fechar o STF você não manda nem um Jipe, manda um soldado e um cabo”.

No Fórum

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.