11 de set de 2018

Ibope: Haddad sobe e Ciro, Marina e Alckmin caindo ou parados


Dentro das margens de erro, não há diferença entre as pesquisas Ibope, divulgada hoje, e a Datafolha, publicada ontem.

Mas há nas tendências, sobretudo porque a do Ibope permite comparar os resultados com o que eram há uma semana, exatamente antes do episódio de Juiz de Fora que, era óbvio, algo acrescentaria a Jair Bolsonaro.

No caso, acrescentou mais que o Datafolha porque a pesquisa Ibope começou no sábado, pouco mais de 24 horas depois da agressão a faca e no auge do noticiário sobre o fato.

A queda de Marina Solva é coerente com o resultado do instituto da Folha e não se registra o tão badalado crescimento de Ciro Gomes.

Já a ascensão de Fernando Haddad, é visível no gráfico, continuava no mesmo ritmo e é só colocar uma régua para ver onde iria se isso permanecesse.

Não vai permanecer, vai se acentuar.

Haddad tem, desde hoje,  a “turbinada” de Lula , que passa a fazer seus efeitos.

Não é imprudente dizer que hoje, apesar do “mando de campo” permanente da televisão, Geraldo Alckmin já deve estar em quinto lugar, fadado à zona do rebaixamento.

Não vão, salvo pelo imponderável, haver alterações bruscas nas tendências.

Os votos lulistas e bolsonaristas, os mais sólidos, estão cristalizados e, no primeiro caso, a questão é só ser esclarecido seu destino.

A direita virou Bolsonaro, o que a prende em um terço dos votos.

A esquerda vai virar Haddad, o que lhe garante ao menos um terço dos votos.

Mas este empate – se não der tempo de Haddad impor-se no primeiro turno, o que não é, ainda, provável – não é uma projeção de disputa acirrrada.

O terço restante irá decidir e Bolsonaro é dose para elefante até para os tucanos, ou para os que entre eles sobrevivam, e serão poucos.

Haddad “arrisca-se a ter”, no segundo turno, uma vitória mais pronunciada que a de Lula sobre Alckmin, em 2006, quando teve 61% dos votos válidos.

E os algozes de Lula ficarão “nus, com a mão no bolso”, sem poder invocar a suposta ”repulsa” nacional ao ex-presidente.

Fernando Brito
No Tijolaço

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.