25 de set de 2018

Bolsonaro sob o efeito do #EleNão

#EleNão barra a transferência de votos para Bolsonaro e dá vitória a Haddad no 2º turno


A campanha de Bolsonaro para presidente sentiu os efeitos do #EleNão. Seu eleitorado é fiel, mas não é o suficiente para dar-lhe a vitória no 2º turno. Essa é a principal informação que se tira da pesquisa IBOPE de 24 de setembro de 2018.

Bolsonaro bateu no teto e o foguete de Haddad entrou em velocidade de cruzeiro

Bolsonaro bateu no teto – ou seja – faltando duas semanas para o 1º turno das eleições de 2018, com uma exposição midiática que era impensável no início da corrida presidencial, Bolsonaro se estabilizou na casa dos 28% de intenções de voto.

O suficiente para leva-lo ao segundo turno em primeiro lugar.

Haddad continuou crescendo, mas não com um arranque suficiente para passar Bolsonaro. Está com 22% de intenção de votos, cresceu 3 pontos percentuais. Poderá crescer ainda mais um pouco – mesmo chegar a empatar com Bolsonaro ou ultrapassá-lo na margem de erro. Mas não em saltos, como na pesquisa anterior.

Ciro não transferiu votos para Haddad, mas também não conquistou novos eleitores. Manteve os 11% de intenções de voto. Haddad parece ter crescido a partir da redução dos índice de votos “branco e nulos”.

IBOPE1 set24

Assim, dificilmente deixará de haver um segundo turno. E o segundo turno dificilmente será diferente de Bolsonaro X Haddad.

#EleNão

O capitão está apanhando de mulher. Surtiu efeito a campanha #EleNão surgida no movimento feminino e que se espalhou pela sociedade como um todo.

Aumentou a rejeição de Bolsonaro que cresceu 4 pontos percentuais, desde a ultima pesquisa, e atingiu 46%. Poderia se fazer a blague de que Bolsonaro está a 4 pontos percentuais de ser rejeitado já no primeiro turno.

Mas, principalmente, aparentemente o #EleNão barrou a transferência de “votos úteis” de Alckmin para Bolsonaro. Alckmin manteve sua intenção de votos e ainda oscilou positivamente em 1 ponto percentual – dentro da margem de erro. Está agora com 8% de intenções de voto.

IBOPE2 set24

2º Turno – o jacaré abriu a boca

A consequência disso é a inversão das curvas de Haddad e Bolsonaro. E Haddad ganha no segundo turno. Haddad 43% contra Bolsonaro com 37%. Considerando que a margem de erro é de 2%, a dianteira de Haddad ultrapassa as possíveis simulações estatística. O padrão dessa correlação é conhecido como “boca do jacaré”- e dificilmente é revertido. Dilma conseguiu o feito contra Aécio em 2014. Mas ela não tinha um #Ele Não contra si.

IBOPE set24

Sérgio Saraiva
No Oficina de Concertos Gerais e Poesia



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.