13 de set de 2018

Até os jornais da oligarquia admitem vitória de Haddad


Na edição desta quinta-feira, 13/9, os principais jornais da oligarquia golpista – Folha de SP, O Estado de SP e O Globo – jogaram a toalha e passaram a admitir, implicitamente, a vitória de Haddad na eleição.

O editorial da Folha, que tem o sugestivo título “Quem Haddad será?” reclama: “Dado que o candidato tem chances reais de vitória, a tentativa de associá-lo à memória dos anos Lula, somada a uma discussão programática rasa, eleva os riscos de novo estelionato eleitoral”.

O editorial do Globo denuncia a impaciência da família Marinho com a política fiscal que Haddad adotará, e cobra definições programática do Haddad: “Ungido, o candidato tem de esclarecer se seguirá de fato políticas que geraram a crise”. […] “Haddad precisa logo se definir na campanha sobre a agenda econômica”.

O Estadão reage com a costumeira histeria e ódio anti-petista à perspectiva da eleição do Haddad no editorial “A Paixão de Lula”: “Há razões para acreditar que, se as forças do centro político não se unirem e arregimentarem suficiente apoio eleitoral, os brasileiros podem se ver diante da trágica situação de ter de escolher o próximo presidente entre candidatos que se apresentam não como futuros chefes de Estado, mas como representantes de seitas, condição que os impedirá, mesmo que eventualmente queiram no futuro, de dialogar com os brasileiros que não compartilham de suas crenças”. O jornal faz ainda o seguinte apelo patético: “Mais do que nunca, o momento é de profunda reflexão sobre os riscos que o País corre caso a razão seja preterida em favor do fanatismo” [sic].

Jeferson Miola



Dólar “bate” R$ 4,20. “Valor” diz que mercado vê Haddad avançando


Às 16 horas e 20 minutos, a cotação do dólar atingiu R$ 4,208.

O simbólico patamar dos R$ 4,20 é atribuído, claro, às informações que circulam no “mercado” sobre a sucessão presidencial.

A cotação da moeda norte-americana, claro, indica para quem são boas e para quem acha que são más as notícias.

Mercado piora com expectativa de fortalecimento de Haddad“, noticia o Valor, informando que “muitos “trackings” privados mostram o avanço do petista, o que eleva a apreensão dos agentes em relação à pesquisa Datafolha, que será conhecida amanhã”.

Não que o candidato petista traga algum risco, mas traz a possibilidade de ganhar-se com a especulação.

Os indicadores no exterior, desta vez, não tiveram “culpa: a inflação norte-americana veio mais baixo que o esperado e um cenário positivo para moedas emergentes.

Depois do pico, baixou meio centavo, queda muito fraca se considerada as ordens de venda fixadas para a “marca mágica” que era aquele valor.

Era, não é mais.

Fernando Brito
No Tijolaço

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.