10 de ago de 2018

PDT divide preferências no Rio Grande do Sul, mas perde oportunidade no Paraná

No Rio Grande do Sul, o pleito está entre MDB, PT e PDT. Já no Paraná, desistência de Osmar Dias dá chances a recandidatura de Cida Borghetti (PP)


Até a última semana, Rio Grande do Sul e Paraná guardavam esperanças para os candidatos do PDT às disputas pelo comando dos Estados. Mas as alianças a nível nacional fizeram Osmar Dias, candidato que estava com empate técnico pela liderança no Paraná, desistir da disputa.

O atual governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (MDB), lidera as intenções de votos para o comando do estado, com 24,1%, mas com grandes chances de dividir o segundo turno com o candidato do PT, Miguel Rosseto, que marca 11,3% ou com Jairo Jorge, do PDT, que tem 10,4% das intenções.

O resultado da pesquisa do Instituto Index foi divulgado no dia 29 de julho, o último realizado para verificar as expectativas do Rio Grande do Sul. Mas ao mesmo tempo que Sartori absorve grande parte do eleitorado é também o candidato com maior rejeição.

O governador tem 28% dos eleitores que não votariam nele de jeito nenhum. Em seguida, Rossetto tem 9,2% de rejeição, e Abigail Pereira (PCdoB), com 8,7%.

A pesquisa foi feita entre os dias 16 e 21 de julho, em 30 cidades do Rio Grande do Sul, e tem margem de erro de 2,9% para mais ou para menos, com 95% de confiança.

Enquanto isso, no estado do Paraná, os candidatos Ratinho Jr. (PSD) e Osmar Dias (PDT) atingiam um empate técnico. Foi o que mostrou o último resultado de pesquisa feita no Estado, ainda em abril deste ano, quando ambos eram pré-candidatos.

Entretanto, o ex-senador do PDT resolveu desistir da disputa ao comando do Paraná, por ver frustrada a sua tentativa de coligação com o MDB de Roberto Requião, além de a nível nacional ver que o partido poderia interferir em sua estratégia, após seu irmão, Alvaro Dias (Podemos), fechar aliança com o PSC, que apoia atualmente Ratinho Jr (PSD).

Sem a candidatura do PDT, a atual governadora do Estado, Cida Borghetti (PP), poderá angariar alguns dos votos contrários a Ratinho. Com apenas 5% das intenções de votos em abril, a candidata a reeleição contará com a sua chapa de oito partidos e o maior tempo de televisão para aumentar os votos.

Ao todo, ela reúne oito partidos na chapa: PP, PSDB, PSB, DEM, PROS, PTB, PMB, PMN, somando cerca de 3 minutos do total de tempo destinado aos candidatos ao governo.

No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.