3 de jul de 2018

Perícia no sistema da Odebrecht mostra que não há pagamentos ou referências a Lula

Foto: Ricardo Stuckert
A defesa de Lula vai entregar ao juiz Sergio Moro, nos autos da ação penal sobre o sítio de Atibaia, o resultado de uma perícia no MyWebDay, um dos sistemas que a Odebrecht usava para efetuar pagamentos de propina no exterior. Segundo Painel da Folha desta segunda (2), a perícia mostra que "não há referência ao petista nos arquivos nem informações que o vinculem a atos ilícitos relacionados à Petrobras."

No processo do sítio, Lula é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro envolvendo as obras no imóvel que pertence, na verdade, aos empresário Jonas Suassuna e Fernando Bittar. As empreiteiras OAS e Odebrecht teriam feito reformas no espaço em troca de contratos com a Petrobras, dizem os procuradores de Curitiba.

Assim como ocorreu no caso triplex, a defesa de Lula tenta evidenciar que não há provas ligando os contratos entre as empreiteiras e a estatal de petróleo e dinheiro destinado ao ex-presidente.

Ao lado do MyWebDay, o sistema Drousys é o que rende mais polêmica. O ex-advogado da Odebrecht Rodrigo Tacla Duran afirma que ele foi adulturado antes e depois da Lava Jato ter sido deflagrada, o que coloca em xeque todas as provas que os procuradores extraem dos sistemas para corroborar denúncias apresentadas a Moro.

No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.