1 de jul de 2018

Foi assim que Napoleão e Hitler perderam a guerra...

Espanha é a nova vítima de estratégia secularmente vencedora!


A Rússia derrotou a Espanha nos penalties!

Qual a surpresa?

O adversário se considera mais forte, imbatível e invade a área da Rússia.

A Rússia, sim, mais fraca, recua e dá espaço ao mais forte.

O mais forte entra.

Avança.

Imagina uma vitória rápida e consagradora.

Avança.

A Rússia cede espaço.

Deixa entrar.

Se for necessário, põe fogo em Moscou, para dar a impressão de que o país está irremediavelmente derrotado.

O adversário avança, avança. Cerca. Cerca.

E a Rússia se defende, como pode (com o tempo...).

E o adversário se cansa.

Cansa.

Cansa.

E a Rússia espera ele se destruir a si próprio.

Moribundo, o adversário vai para a batalha final.

Derrotado pela neve, a chuva ou o calor... não resiste.

A Rússia de pé.

Assim a Rússia derrotou Napoleão com Kutusov, Hitler com Zhukov e, agora, os furiosos espanhóis com o astuto Cherchesov.

Faltou o Iniesta ler "Guerra e Paz".

Em tempo: o Ataulpho Merval está na Rússia e seus derradeiros leitores correm um risco: ele dizer que o ditador Putin comprou o Aspas, o espanhol que bateu o último penalty.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.