13 de jul de 2018

Depois de três anos, Lava Jato denuncia executivo americano


Na 4ª feira à noite, dia 11, publiquei a história da empresa Vantage Drilling International, que corrompeu executivos da Petrobras para conseguir um contrato de US$ 1,8 bilhão de arrendamento de um navio-sonda. Em 2015, quando o caso foi revelado pelas delações de Jorge Zelada e Eduardo Musa, a Lava Jato agiu rapidamente contra os subornados, mas nada fez em relação aos subornadores. A Petrobras rompeu o contrato, alegando problemas operacionais, além da revelação da corrupção. A empresa entrou com uma ação em Tribunal de Arbitragem dos Estados Unidos e conseguiu uma indenização de US$ 662 milhões.

Anotava, no artigo, que a Lava Jato havia sentenciado os executivos brasileiros a mais de dez anos de prisão, e não havia tomado nenhuma medida penal contra os executivos da Advance.

Ontem, 5ª feira, três anos após a revelação do escândalo, foi feita a denúncia contra Paul Alfred Bragg, o principal executivo da Advance. A denúncia esmiúça a maneira como Zelada forçou a contratação da empresa pela Petrobras. Inclusive detalha a participação do controlador da empresa, o chinês Nobu Su.

Nenhuma medida foi tomada, no entanto, em relação à Trafigura, provavelmente a empresa com maior nível de corrupção na Petrobras.

Luís Nassif
No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.