20 de jul de 2018

A TV pode salvar Alckmin?


A rigor, a pergunda do título passa a ser a grande esperança da direita brasileira.

Mas ela depende de outros fatores, além do latifúndio de tempo que o insosso candidato tucano vai dispor nos horários eleitorais.

O primeiro – e óbvio – é que os agentes judiciais do golpe consigam fórmulas e manobras políticas que mantenham Lula reduzido não apenas a não ser candidato mas a comunicar-se exclusivamente por bilhetes e cartas, ou “traduzido” por visitantes limitados.

Mas há outras variáveis importantes.

A mais decisiva é o quanto Henrique Meirelles o pode proteger de ser “o candidato do Temer”, ainda mais depois que o “centrão” recebeu do ocupante do Planalto o mais descarado empurrão na direção do tucano.

Está evidente que Meirelles é um “candidato decorativo”, o que não se sabe é o quanto o é por consentimento próprio.

Trata-se, também, de o quão bem sucedidos serão os esforços para “desinflar” Jair Bolsonaro. Mesmo sem TV – o seu tempo dá para fazer, quando muito, um “Meu nome é Jair” e algum gesto simbólico de sua cruzada armamentista. Não descreia que nessa tarefa as pesquisas não ajudem o plano.

Há, ainda, problemas regionais de complicada solução, porque o ônibus de candidatos ficará lotado e a turma do Centrão vai cobrar caro pelo presente televisivo a Alckmin.

E, afinal, a maior de todas as questões: o que pode escolher Geraldo Alckmin para ser o significado de sua candidatura.

O “preparado para O Brasil”, slogan com que “vende” sua candidatura é, já se viu, fraco demais. Experiência pode ser um atributo desejável, mas reforça apenas o “paulistismo” do candidato, chovendo no molhado.

Depois, em que suas propostas se diferenciam do que temos com Temer: corte de gastos, perda de direitos trabalhistas, privatização, venda das empresas brasileiras?

Alckmin é carente do que mais mobiliza o eleitor brasileiro hoje: que o país volte a viver um tempo de prosperidade e autoestima.

E ele desperta tanto apetite quanto um prato de chuchu.

Que não dá água na boca nem mostrado com as cores da TV, fumegante e decorado.

Fernando Brito
No Tijolaço

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.