6 de jun de 2018

Pastor ligado a polêmica estaria pedindo cassação do PT

João Antonio Aires da Rocha seria o fundador do Partido Nacional Evangélico e envolvido em inquérito contra Garotinho arquivado em 2013

Ministro Admar Gonzaga teria solicitado posição da PGR sobre o caso
Foto: Roberto Jayme
Um novo pedido de cassação do registro do PT teria sido ingressado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Supostamente nas mãos do ministro Admar Gonzaga, por protocolo, teria solicitado à Procuradoria-Geral da República (PGR) um posicionamento sobre a ação.

A informação foi divulgada na manhã de hoje (05) pelo blog do Eliomar, em OPOVO online. De acordo com a coluna, o autor do pedido de cassação do registro do Partido dos Trabalhadores seria João Antonio Aires da Rocha, que se auto-intitula Pastor João Rocha.

O GGN buscou no sistema do TSE se alguma ação por parte de Rocha foi aberta, mas o único processo que aparece nos registros da Justiça Eleitoral relacionado ao nome é datado de 2011, relativo a abertura do registro do Partido Nacional Evangélico (PNE) [acompanhe aqui].

O nome também é o mesmo que aparece como um dos supostos investigados em suposta tentativa de "compra" do controle político do PTdoB, por parte de Anthony Garotinho, quando ele era o líder do PR na Câmara, em 2013 [leia aqui].

No episódio, João Antonio Aires da Rocha teria admitido que Garotinho interferiu na disputa pelo controle partidário, pagando em troca de uma decisão favorável por um desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal. O caso foi arquivado em setembro de 2013.

Mas, agora, João Antonio Aires da Rocha estaria pedindo a cassação do registro do Partido dos Trabalhadores no TSE. De acordo com a coluna, Gonzaga "não quis nem saber e botou o processo para andar", encaminhando pedido ao Ministério Público para se manifestar.

Agência Xeque
No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.