17 de jun de 2018

Grécia e Macedônia encerram 27 anos de disputa

Com o acordo que altera o nome da ex-república iugoslava, Grécia se compromete a retirar seu veto à entrada da Macedônia na União Europeia e na Otan

Premiês macedônio, Zozab Zaev, e grego, Alexis Tsipras após firmarem acordo
Os ministros do Exterior de Grécia, Nikos Kotzias, e Macedônia, Nikola Dimitrov, assinaram, neste domingo 17, um acordo histórico para alterar o nome da ex-república iugoslava, que passará a ser chamada de República da Macedônia do Norte. O documento abre ao país o caminho para adesão à União Europeia e à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Realizada à margem do lago fronteiriço de Prespes, a cerimônia teve a participação também dos primeiros-ministros grego, Alexis Zipras, e macedônio, Zoran Zaev, além do negociador da ONU Matthew Nimetz e da chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini.

 "Cumprimos hoje o nosso dever patriótico”, afirmou Tsipras, classificando o acordo de "passo histórico para fechar as feridas do passado, para abrir o caminho para a cooperação dos dois países, dos Balcãs e de toda a Europa".

O tratado, que deve entrar em vigor dentro de seis meses, coloca um fim a uma disputa de 27 anos. Com o acordo, a Grécia se compromete a retirar seu veto à entrada da Macedônia na União Europeia e na Otan.

Atenas era contra a utilização do nome Macedônia pelo país, temendo que isso poderia levar a nação vizinha a reivindicar o território de mesmo nome localizado no norte da Grécia. A ex-república iugoslava, por sua vez, tem aspirações de entrar na UE e na Otan, o que vinha sendo dificultado pelo veto da Grécia, membro das duas organizações.

No lado macedônio, o acordo deve ainda ser ratificado pelo Parlamento, aprovado por referendo e incluído numa emenda constitucional. O texto será em seguida submetido à ratificação do Parlamento grego.

Entretanto, ainda há resistência ao acordo. Os conservadores da oposição grega alegam que o socialista Tsipras não tem autoridade para assinar tal tratado com a Macedônia. Na noite do sábado, o chefe de governo grego conseguiu superar uma moção de confiança convocada pelos conservadores no Parlamento.

Dezenas de nacionalistas gregos e macedônios protestaram neste domingo em ambos os lados da fronteira no momento em que o acordo era assinado. Na noite anterior, a polícia grega usou spray de pimenta para controlar dezenas de manifestantes que ameaçaram invadir o Parlamento em Atenas.

Deutsche Welle

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.