27 de mai de 2018

Temer deveria renunciar


Se houvesse um pouco de dignidade ou espírito publico na alma de Michel Temer ele deveria renunciar à cadeira em que sentou depois da deposição ilegítima de Dilma Roussef.

Temer desuniu e desagregou o país. Lançou ao inferno os deputados da própria base, que entornaram cálices de cicuta ao absolvê-lo de dois pedidos de afastamento do cargo formulados pela Procuradoria Geral da República sob o argumento de que o faziam "porque o Brasil precisa seguir avançando depois do impeachment". O fato é que o país andou para trás e esses parlamentares serão cobrados em praça pública por eleitores que exibirão suas imagens e seus discursos no microfone do plenário.

Se houvesse algo digno na alma de Temer, em que pese o risco de ser preso e de ver também em cana seu primeiro-ministro Moreira Franco, ele deveria renunciar ao cargo que ocupa sem legitimidade, sem competência, sem hombridade.

Só esse gesto, parece-me, seria capaz agora de reunificar a Nação que está aos cacos e assegurar alguma estabilidade para a travessia até outubro, até 1o de janeiro de 2019.

Temer perdeu qualquer condição de se imaginar governo, porque ocupou o poder não com um projeto de país - mas sim com a intenção de lotear os espaços públicos.

O problema de apelar para algo que reste de dignidade ou espírito público na alma de Temer reside numa impossibilidade metafísica: Temer não tem alma.

Luís Costa Pinto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.