7 de mai de 2018

Operação 'Político Sujo' em BH investiga repasse para igrejas evangélicas

MP acusa o vereador Magalhães de ser o chefe da quadrilha
Na operação Sordidum Publicae (“Político Sujo”em latim), o Ministério Público de Minas Gerais e a Polícia Civil prenderam no dia 18 de abril de 2018 seis suspeitos de participar de um esquema de fraudes de licitação na Câmara Municipal de Belo Horizonte (MG). 


Entre as irregularidades consta o repasse de R$ 122.272 para a Fundação Rádio Educativa Quadrangular, da Igreja Quadrangular, e R$ 136.604 para a Fundação da Graça de Deus, da igreja de R.R. Soares.

De acordo com o MP, Wellington Magalhães (PSDC), vereador e ex-presidente da Câmara, é o chefe da organização criminosa.

Foragido, ele acabou se entregando [vídeo abaixo] e foi mandado para o Complexo Penitenciário Nelson Hungria. Ele teve seu mandato suspenso.



Henrique Braga (PSDB), atual presidente da Casa e vice na gestão de Magalhães, também é suspeito, mas ele continua solto.
Pastor há mais de 40 anos, Braga é conselheiro da emissora da Igreja Quadrangular.

No total, a quadrilha teria dado um prejuízo de R$ 30 milhões aos cofres públicos. 



No Paulopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.