9 de mai de 2018

O que seriam as provas de falsificação de extratos bancários na Lava jato


O deputado federal Sibá Machado deu declarações que atacam diretamente a atuação do juiz Sérgio Moro, na manhã do dia 05 abril, sábado. No encontro Frente Popular Cruzeiro do Sul, também comparou a situação de Lula a de Nelson Mandela.

Tendo sido muito criticado pela mídia hegemônica, Sibá Machado pode ter razão no que diz, aliá, há indícios forte de falsificação de documentos na Lava Jato, com possível envolvimento do juiz. No mínimo, o juiz foi conivente com a criação das provas de modo a incriminar o ex-presidente Lula.

O extratos bancários, apresentados pelo advogado Tacla Duran, são diretamente conflitantes com os que forma apresentados pelo Ministério Público Federal, como prova, na força tarefa da Lava Jato. Com isso, surge um novo possível crime, adulteração de provas e falsificação de documentos.

Veja abaixo as primeiras provas.

Com a dica de Tacla Duran, analistas foram atrás das provas e encontraram:

Documento apresentado pela Innovation


Extrato bancário apresentado pela Innovation, com erros de cálculo.

EXTRATO APRESENTADO PELO BANCO


Extrato apresentando pelo banco

Outras evidências comprovaria a possível fraude em documentos e falsificação de documento.
  • Extratos originais do banco apresentam números com sinal negativo. O documento da Innovation, não.
  • A formatação das datas, no documento da Innovation está no formato brasileiro (dia/mês/Ano) e não no americano (Ano/mês/dia).
  • a formatação nas datas de lançamento é idêntica ao da planilha PAULISTINHA, preparada por Maria Lúcia Tavares, a responsável pelos lançamentos no Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht.
  • nos anexos da delação de Leandra A. Azevedo consta ordem de pagamento, com data de 28 de setembro de 2012, de US$ 1.000.000,00 da conta da Innovation para a Waterford Management Gourp Inc. Mas no extrato bancário supostamente montado, a transferência consta como saída de 27 de setembro de 2012, ou seja, antes da ordem de pagamento.
  • A formatação dos valores está no padrão brasileiro e não americano, em o decimal é separado por pontos, no brasileiro, é separado por vírgula. Ex. (BRL 1.000.000,00 – USR: 1,000,000.00)



A PRIMEIRA PROVA MATERIAL CONTRA MORO POR SUPOSTA VENDA DE SENTENÇA: Esposa de Juiz recebeu pagamento de direito da Odebrecht

Em matéria publicada pelo Radar da Veja, que apresenta uma planilha de pagamento de funcionários do escritório do advogado Tecla Duran, Rosângela Moro, esposa do juiz Sérgio Moro, teria recebido repasse de valores do escritório do advogado que era, na verdade, doleiro da Odebrecht. Duran, é considerado foragido e foi justamente Moro que pediu sua prisão. Talvez, não por acaso, uma vez que Tecla Duran havia denunciado o ex-sócio e padrinho de casamento de Rosangela Moro, por compra de sentença na Lava Jato.

Recentemente, Moro tentou explicar fato justificando que sua esposa não recebia pagamento que seriam sócios apenas no compartilhamento da infraestrutura do escritório. Com isso, acabou caindo em contradição, já que o juiz já havia dito em entrevista à Conjur que a sociedade era justamente o contrário, apenas para compartilhamento de honorários.

Planilha de Pagamentos dos Funcionários do Escritório de Tecla Duran

Na tentativa de justificar e não ser considerado impedido no passado, gerou a prova de hoje. Então, a pergunta que fica é: “Por que o MPF, que teve acesso a todos os documentos do sigilo fiscal de Duran, não usou a lista de pagamentos para pedir o afastamento e acusar Moro?” 

O que acabou de acontecer, foi o vazamento dessa planilha da Receita Federal de pagamentos dos funcionários do escritório de Tecla Duran contando um pagamento à esposa de Moro. Ou seja, corroborando para de Duran, que foi cobrado e pagou por redução de pena.

Ou seja, Duran é acusado de recebimento de valores para amenizar e até mesmo inocentar réus na Lava Jato. Moro, juiz da operação, teria que ter recebido valores de alguma forma. Rosângela, esposa do juiz, era sócia do escritório de Zucolotto e recebeu pagamentos, é o que diz a planilha de Duran da Receita Federal publicada na veja. Com isso, além da contradição já verificada anteriormente, surge a primeira prova material de um possível crime.

O que o blogueiro da Veja verifica, é que o juiz deveria ser considerado impedido para julgar Duran. Mas, as consequências vão bem além de um simples impedimento. Por exemplo, surgem perguntas ainda sem resposta, como: “Por que a esposa de Cunha foi absurdamente inocentada e a esposa de Cabral também recebeu tratamento bem mais brando que as demais esposas de acusados e condenados na Lava Jato”?

No A Postagem

Um comentário:

  1. Juiz, Promotor, Investigador, Bedel, Meirinho, Segurança, mas Também, Traidor, Covarde, Canalha, Falsário, RÉU e REI do CRIME... Vais pagar muito caro, Jui$$$XXX...

    ResponderExcluir

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.