16 de abr de 2018

Lula e o testemunho de seus títulos Doutor Honoris Causa


Luís Inácio Lula da Silva é o cidadão brasileiro que recebeu a maior quantidade de títulos Doutor Honoris Causa de universidades nacionais e internacionais. Na wikipedia há a relação de 17 títulos. No entanto, a informação está desatualizada. Em artigo do GGN de 10/08/2015, assinado por Edison Brito ("Contra tudo e contra todos Lula receberá o Nobel da Paz") há a relação de 27 títulos. Na data de hoje, no site do Instituto Lula eu contei 33, conferindo cada um nos sites das universidades que concederam os títulos. E depois de pesquisar inúmeras fontes, parece que esse número 33 é o mais correto. Uma observação importante é que esse é o número relacionado a títulos concedidos. Se contarmos os títulos Honoris Causa aprovados para concessão, aí o número é maior que 80. De qualquer forma, por enquanto, fica o 33 e caso o leitor tenha encontrado outro número, por gentileza informe as fontes para nossa atualização sobre o fato.

Assim, com 33 Honoris Causa (17 destes em universidades do exterior), Lula é o brasileiro que mais recebeu tal título. Em comparação, Paulo Freire, pernambucano como Lula, acadêmico que colocou o Brasil no mapa des recherches exceptionelles, recebeu em vida 29 títulos Doutor Honoris Causa (18 deles em universidades do exterior). O terceiro lugar, em número de títulos, fica com Fernando Henrique Cardoso.

As universidades europeias começaram a emitir o título de Doutor “em razão da honra”, ou em latim “Doctor Honoris Causa” a partir do século XV. A primeira universidade a fazer isso, foi a Universidade de Oxford em 1470.

A antiga tradição europeia hoje é tradição mundial e a grande maioria das universidades pode conferir título de doutor tanto para aqueles que permanecem residentes à universidade, na condição de aluno, realizando exames e defendendo uma tese (é o caso dos títulos de Philosophiae Doctor, PhD ou do Scientiae Doctor, DSc), quanto para aqueles não residentes, mas cuja carreira apresenta um portfólio à altura do título. Neste último caso é onde se encaixa o título Doutor Honoris Causa.

Usualmente as universidades concedem o Honoris Causa para aqueles cuja carreira reflete os ideais mais valiosos da universidade, a partir do exemplo de excelência acadêmica ou serviços extraordinários prestados à sociedade, reconhecendo grandes realizações em nível internacional nas ciências, artes, humanidades, serviço público e seus respectivos impactos humanitários.

Nesse caso, o Doutor Honoris Causa não é um título fácil de ser alcançado por alguém. Ele é uma espécie de prêmio Nobel particular de cada instituição universitária, considerado a mais alta honraria que uma universidade pode emitir.

Nesse contexto, temos Lula.

A política de inclusão, que retirou o Brasil do mapa da fome, além das ações desenvolvimentistas em diversas áreas, como a criação recorde de universidades e vagas em universidades, institutos técnicos e fortalecimento do ensino fundamental, políticas nas áreas de saúde, energia e destacadamente relações internacionais, transformaram o Brasil em vitrine para o mundo, levando o responsável direto por isso, Lula, a ser reconhecido por universidades e institutos acadêmicos.

Dado seu histórico pessoal de retirante nordestino, sindicalista, pensador não-acadêmico do Brasil (o que o não desmerece, ao contrário, o torna ainda mais vital para este país, pois é pensador atuante na prática transformadora), temos então a elite do atraso que não suporta a série de conquistas vivenciadas por alguém que não pertence ao meio. E daí vem o ódio. Lula foi o único brasileiro a receber um Doutor Honoris Causa pelo conceituadíssimo Instituto de Ciências Políticas de Paris (Sciences Po). Como?, pergunta-se a elite brasileira, que ama Paris como se fosse sua casa. Presidente com dois mandatos e 33 Doutor Honoris Causa? Como? A insistente vantagem percentual de Lula sobre os seus adversários nas pesquisas de opinião para as Eleições 2018 criou a trágica solução, envolta por uma burocracia entapetada com ar de legalidade, de retirá-lo à força da vida pública, encarcerando-o covardemente em uma prisão de Curitiba. O que demonstra, mais uma vez, triste sina, que a elite entreguista tem um grande potencial para ganhar o título de Doutora Honoris Causa às avessas, como suma-prestadora de serviços ignóbeis ao nosso país.

Como um post scriptum, vai aqui a relação das 33 universidades que concederam o título a Lula, todos eles recebidos após a sua saída da presidência:

- Universade de Coimbra, Portugal

- Instituto Sciences Po de Estudos Politicos de Paris, França

- Universidad de Salamanca, Espanha

- Universidade Federal do ABC, Brasil

- Universidad de Buenos Aires, Argentina

- Universidad de Cuyo, Argentina

- Univesidad de San Juan, Argentina

- Universidad de La Plata, Argentina

- Universidad de Córdoba, Argentina

- Universidad Tres de Febrero, Argentina

- Universidad Lanús, Argentina

- Universidad San Martín, Argentina

- Faculdad Latino America de Ciéncias Sociales, Argentina

- Universidade Federal de Viçosa, Brasil

- Universidade Federal da Bahia, Brasil

- Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, Brasil

- Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil

- Universidad Andina Simón Bolívar, Equador

- Escuela Politécnica del Litoral, Equador

- Universidad Mayor de San Marcos, Peru

- Universidad de Rosario, Argentina

- Universidade de Pernambuco, Brasil

- Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Brasil

- Universidade Federal do Piaí, Brasil

- Univesidade Regional do Cariri, Brasil

- Universidade Estadual de Alagoas, Brasil

- Universidade Federal de Pernambuco, Brasil

- Universidade Federal Fluminense, Brasil

- Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Brasil

- Universidade Federal de Sergipe, Brasil

- Universidade Federal Rural de Pernambuco, Brasil

- Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), Brasil

- Universidade de Aquino, Bolívia

Carlos Coimbra
No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.