18 de abr de 2018

Ex-presidente da Câmara de BH é alvo de mandado de prisão por fraudar licitação em publicidade

Além dele, tiveram mandados espedidos também contra a sua esposa e outras seis pessoas

Ele
O vereador e ex-presidente da Câmara de Belo Horizonte, Wellington Magalhães (PSDC), sua esposa, Kelly Magalhães, e mais seis pessoas tiveram mandados de prisão espedidos na manhã desta quarta-feira (18) por suspeita de fraudes em licitação. Até as 7h40, quatro pessoas já haviam sido presas, entre elas a mulher do vereador.

De acordo com o Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), o vereador é suspeito de liderar uma organização criminosa que fraudava licitações de publicidade da câmara. Os prejuízos aos cofres públicos, segundo o MPMG, passaram de R$ 30 milhões. A Operação foi batizada de “Sordidum Publicae”, que em latim significa “político sujo”.

Os outros presos são o ex-superintendente de comunicação da Câmara de Vereadores de Belo Horizonte, Marcio Fagundes, Marcus Vinicius Ribeiro, Rodrigo Dutra de Oliveira, Christiane de Castro Melo Cabral Ribeiro, Frederico Ribeiro Guedes e Paulo Victor Damasceno Ribeiro. A determinação de prisão é da 4ª Vara Criminal de Belo Horizonte.

O vereador Wellington Magalhães foi identificado como o líder que direcionou a licitação para contratação de serviços de publicidade para a Câmara, em favor da empresa Felling Comunicação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.