23 de mar de 2018

O desafio de garantir a credibilidade das notícias sem manipulação


Uma das experiências de criar selo de qualidade para as notícias é do Projeto Credibilidade, uma junção do Projor (que edita o site Comunique-se), com uma professora da Unesp, jornais da velha mídia e sites alinhados da nova mídia.

Pode ser uma experiência interessante, se houver pluralidade e reconhecimento das diversas linhas de blogs jornalísticos ou não, existentes no universo digital.

Se for apenas uma sucursal da ANJ (Associação Nacional dos Jornais) e ABERT (Associação Brasileiras das Empresas de Rádio Televisão), frustrará os objetivos e será um instrumento das disputas de narrativas na Internet.

Enviei um e-mail ao projeto, solicitando a filiação do GGN. Abaixo, a resposta que recebi, mais os princípios que regerão o projeto.

Projeto Credibilidade

Agradecemos o interesse do Jornal GGN (www.jornalggn.com.br) de integrar o consórcio de mídia do Projeto Credibilidade. Em função de limitações operacionais, estamos impossibilitados de responder sua solicitação de forma imediata, pois estamos analisamos solicitações anteriores de outros veículos.

A fim de agilizar seu processo de aprendizado do sistema de indicadores do Projeto Credibilidade/The Trust Project, recomendamos que visite a seguinte página: https://www.manualdacredibilidade.com.br/indicadores.

Destacamos o indicador "Melhores práticas" para o início do processo, que pode ser feito mesmo sem a adesão formal ao consórcio. 

Seguem também abaixo as respostas para perguntas frequentes sobre o nosso projeto:

1) O que são o Projeto Credibilidade e The Trust Project? E o que  eles fazem?

Único capítulo internacional de The Trust Project, o Projeto Credibilidade é realizado em parceria entre o Projor – Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo – e o  Programa de Pós-Graduação em Mídia e Tecnologia (PPGMiT), da Universidade Estadual Paulista (Unesp), sob coordenação dos jornalistas Angela Pimenta, presidente do Projor, e Francisco Rolfsen Belda, docente e vice-coordenador do doutorado do PPGMiT. O Credibilidade é patrocinado pelo Google Brasil. 

The Trust Project é um consórcio internacional de organizações noticiosas que colaboram para criar padrões de transparência a fim de tornar a imprensa mais confiável. Dirigido pela jornalista Sally Lehrman, é sediado no Centro Markkula para Ética Aplicada da Universidade Santa Clara, no Vale do Silício.

Os motores de busca e as plataformas de redes sociais, que se tornaram importantes distribuidores de notícias, participam como parceiros externos. Trabalhamos com um processo de design centrado no usuário. 

A partir de  dezenas de entrevistas em profundidade com um espectro diversificado de vozes públicas, os profissionais envolvidos com o Trust Project identificaram e criaram um sistema de "indicadores de credibilidade" – ou seja, informações padronizadas sobre o processo de apuração e edição da notícia, o jornalista e os compromissos editoriais do veículo – para tornar mais fácil que público identifique notícias confiáveis.

As plataformas digitais, como Google, Facebook, Bing e Twitter, podem usar os indicadores de credibilidade para divulgar notícias confiáveis ​​para seus usuários.

2) O sistema de indicadores de credibilidade

Trabalhamos para a adoção e/ou fortalecimento de padrões editoriais e éticos através do sistema de oito indicadores na apuração, edição, publicação e feedback sobre notícias, análises e opiniões:

Melhores práticas: quais são os seus padrões?

Expertise do autor: quem está por trás do artigo?

Tipo de trabalho: o que é isso? (etiquetas para notícia, análise, opinião, sátira e conteúdo patrocinado)

Citações e referências: maior acesso às fontes

Métodos: o processo de apuração

Apuração local?: expertise e geo-localização 

Diversidade de vozes

Oportunidades para engajamento público

3) Nosso compromisso com a transparência e pluralidade:

Em longo prazo, visamos que o sistema de indicadores, que chamamos também de "dados nutricionais da notícia" tornem-se um modelo para a imprensa brasileira em geral, independentemente do tamanho ou orientação ideológica do veículo. A propósito, acreditamos que o nosso sistema de indicadores também possa ser adotado pelos chamados jornalistas cidadãos e jornalistas ativistas.

4) Sobre a formação do consórcio de mídia do Projeto Credibilidade:

Por questões operacionais decorrentes da fase atual de implementação, no início de 2018 o consórcio de mídia brasileiro conta com 17  integrantes, entre veículos da chamada grande imprensa e veículos nativos digitais, além da Abraji, parceira institucional do projeto.

Nosso trabalho consiste em colaborar com os veículos, ajudando-os a adotar e/ou fortalecer práticas editoriais e desenvolver interfaces digitais para a expressão dos indicadores nas plataformas de distribuição. À medida que o projeto avance, iremos expandir o consórcio. 

5) Não certificamos veículos ou conteúdo jornalístico:

Recentemente, o Trust Project lançou a marca T, um indicador que pode ser usado, a critério dos veículos de seu consórcio que reconhecidamente adotem os indicadores da primeira fase de implementação, através de um Produto Mínimo Viável (MVP). Mas a marca T não é um selo de certificação de veículos e tampouco de seu conteúdo. Este vídeo do Trust Project traz mais informações a respeito.



Dada a escala avassaladora da publicação de informações na internet, a tarefa de checar a autenticidade e veracidade do conteúdo demanda o trabalho de checagem específica de determinado artigo, trabalho que tem sido exercido no Brasil pelos próprios veículos e também por veículos especializados em checagem como Aos FatosLupa e Truco!

Seguimos à disposição para quaisquer perguntas.

Atenciosamente,

Angela Pimenta e Francisco Belda, coordenadores do Projeto Credibilidade

Luís Nassif
No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.