5 de mar de 2018

Má notícia para a Lava Jato: Moro cai enquanto Lula resiste, mostra pesquisa Ipsos


A pesquisa Ipsos, encomendada pelo Estadão e divulgada no último domingo (4), revela que a rejeição ao juiz federal Sergio Moro vem crescendo e já ultrapassou a sua aprovação. Enquanto isso, o ex-presidente Lula, condenado na Lava Jato, mateve a rejeição estável desde 2015 e vem sendo aprovado por um contingente maior de entrevistados desde então.

Moro está hoje com 51% de rejeição - um dos patamares mais altos desde o início da série, em setembro de 2015 - enquanto sua aprovação vem caindo: atualmente, é de 39%.

Ainda há 10% que não sabem avaliar a maneira que a estrela da Lava Jato vem atuando no País, mas de acordo com o gráfico abaixo, o ponto de inversão para Moro (quando a rejeição passou a ser maior do que aprovação) nasceu em meados do segundo semestre de 2017. Lula foi condenado pelo magistrado, no caso triplex, em 12 de junho.

Fonte: Estadão

Lula, por sua vez, ainda é numericamente mais rejeitado que o juiz: hoje é desaprovado por 56%. Mas esse índice se mantém estável desde agosto de 2015, a despeito de todas as investidas da Lava Jato e de outras operações.

Contrariando a lógica imposta pelo massacre midiático, a aprovação do ex-presidente cresceu desde o início da série. Em agosto de 2015, a taxa era de 35%. Anos depois, em janeiro de 2017, estava na casa dos 30%. Em fevereiro desde ano, após a condenação em segunda instância, a aprovação subiu para 42% e somente 2% dos entrevistados não sabem se posicionar sobre a situação de Lula.

O Barômetro Político Estadão-Ipsos não é uma pesquisa de intenção de votos, mas de opinião pública. Ao entrevistado é apresentada uma lista com os nomes a serem avaliados, e ele diz se aprova ou não.

Na mesma pesquisa, Michel Temer apareceu com apenas 4% de aprovação, ante 93% de desaprovação.

O ministro da Fazenda Henrique Meirelles (PSD) é aprovado por outros 5%.

Rodrigo Maia (DEM) é aprovado por 4% e rejeitado por 69%.

Geraldo Alckmin (PSDB), o provável candidato do PSDB, é aprovado por 20% dos eleitores, e desaprovado por 68%.

Jair Bolsonaro (PSC) tem a consideração de 24%, mas é rejeitado por 58%.

Os dois possíveis substitutos de Lula na disputa presidencial, Fernando Haddad e Jaques Wagner (PT), são aprovados por 6% e 4%, respetivamente, mas rejeitados por 63% e 57%. Por outro lado, Haddad é "desconhecido" de 31% e Wagner, de 39%.

No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.