18 de mar de 2018

"Cidadão de Bem do Paraná"




Djonathan Pelick Maba é Advogado no Paraná: OAB 67363
Fone: (41) 9.9181-4433

Pela internet, você pode denunciar crimes de ódio. Se você constatar alguém enaltecendo o homicídio de Marielle, você está diante de um crime de apologia a fato criminoso (art. 287 do Código Penal). Se você notar alguém sugerindo que outros devem ser assassinados, há o delito de incitação ao crime (art. 286 do Código Penal). Se for mostrada foto de suspeito morto pela polícia, há o crime de vilipêndio de cadáver (art. 212 do Código Penal). Se você ver pessoas praticando esses atos acima em grupos, elas estão cometendo o delito de associação criminosa (art. 288 do Código Penal).

Faça um print das telas, que permitam identificar esses delinquentes do ódio, e os envie para o link dos comentários (Ministério Público Federal). Vai demorar 5 minutos, apenas. Você pode ajudar a combater esses criminosos de redes sociais...



No Jornalistas Livres



Equipe jurídica que rastreia calúnias contra Marielle já recebeu mais de 2 mil denúncias


Grupo voluntário de advogadas tem por objetivo enviar todos os casos com autores identificados para investigação na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI)

A equipe voluntária de advogadas que está rastreando as mensagens caluniosas contra a socióloga e vereadora Marielle Franco (PSOL) já recebeu mais de 2 mil denúncias por e-mail. O intuito é enviar todos os casos com autores identificados para investigação na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) da Polícia Civil ou para retratação pública na Justiça.

Relembrando que as denúncias podem ser recebidas no e-mail: contato@ejsadvogadas.com.br.

Segundo o vereador Tarcísio Motta, colega de bancada de Marielle na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, é preciso responsabilizar os que estão propagando discurso de ódio e reproduzindo ou criando notícias falsas que atentem contra a honra da ex-vereadora.

“O objetivo é que a gente consiga processar todos que tiverem cometido de fato difamação, calúnia, para que essas pessoas possam se retratar. Que a gente não deixe que a memória da Marielle, no sentido da execução deste crime político, seja invertida para algo absurdo como esse ódio destilado na internet está tentando fazer com ela agora”, disse o vereador.



Pernambuco afasta Delegado por postagem ofensiva nas redes contra Marielle

Secretaria de Defesa Social (SDS) agiu rápido e divulgou uma nota oficial, no final da manhã deste domingo (18), informando o afastamento do delegado Jorge Ferreira do plantão da Delegacia da Mulher. A iniciativa, segundo o Diário de Pernambuco, foi tomada em função das declarações desequilibradas postadas pelo policial, em uma rede social, a respeito do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ). Paradoxalmente, até um mês atrás ele dava plantões na Delegacia da Mulher de Santo Amaro, Pernambuco.

Segundo a nota, o conteúdo da postagem foi encaminhado à Corregedoria Geral da SDS, que começou uma investigação preliminar, na qual o servidor terá direito à ampla defesa e ao contraditório. “Até a conclusão do procedimento administrativo, o servidor ficará à disposição do setor de recursos humanos da PCPE”, diz o texto.


 
Ainda de acordo com a nota, o teor das afirmações é incompatível com o posicionamento do Governo, da Secretaria de Defesa Social e da Polícia Civil, “que prezam e focam todos os seus esforços na preservação da vida, proteção dos cidadãos, tolerância e paz social”. O texto é assinado pelo Governo do Estado de Pernambuco, Secretaria de Defesa Social de Pernambuco e Polícia Civil de Pernambuco.

Também foi por meio das redes sociais que o delegado Jorge Ferreira resolveu se defender sobre o assunto. Em um vídeo com cerca de dez minutos, o delegado disse não ter sido o autor da postagem. “Fui informado por um amigo sobre a publicação. Quando eu saí da rede social eu vi que tinham vários aparelhos logados na minha conta e eu nem sabia. Tinha inclusive um no Crato, mas eu nunca estive lá. Eu saí imediatamente de todos, mas não sei como postaram isso”, argumentou.

Ainda no vídeo, o delegado disse defender que antes das acusações sejam realizadas as investigações. “Eu tenho posturas políticas muito claras, todo mundo sabe. Eu sou a favor da lei, da ordem, do trabalho bem executado. O que eu venho postando e replicado é para fomentar a discussão porque defendo a ideia de que antes de se acusar se apure. Mal aconteceu o homicídio e já se começou a acusar a Policia Militar. Eu defendo que não, que seria interessante antes ver todas as possibilidades, diz.

“A Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (ADEPPE), por sua vez, divulgou uma nota afirmando que o post não é de autoria do referido delegado. “Jorge Ferreira é um profissional responsável e extremamente dedicado à missão a que foi incumbido, na defesa dos direitos da mulher. Aqueles que o conhecem minimamente sabem que Jorge possui um temperamento completamente incompatível com o conteúdo chulo e grosseiro do texto publicado”, diz o texto. Por fim, a associação disse estar apurando como se deu a fraude, se por meio de uma conta falsa ou se houve invasão da conta do delegado.

Um comentário:

  1. OS CANALHAS DE "BEM" SE REVELAM COMO SÃO, FASCISTAS. SE BOBEAR ELE É DE ORIGEM JUDAICA OU ÁRABE, SE NÃO ME ENGANO, QUE FORAM MUITO BEM RECEBIDOS NO BRASIL, DIFERENTE DOS NEGROS QUE FORAM TRAZIDOS A FORÇA PARA SEREM ESCRAVOS DE UM ELITE BRANCA!

    ResponderExcluir

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.