24 de jan de 2018

Imprensa internacional aponta parcialidade no julgamento de Lula


Concorrendo com a cobertura do primeiro dia do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, com o atentato terrorista em Jalalabad, no Afeganistão e com a prolongada crise da independência da Catalunha, o julgamento do ex-presidente Lula é destaque hoje nos principais jornais da Europa e América Latina.

Na Espanha, o jornal El País dedica uma página para a cobertura ao vivo do julgamento, com um correspondente direto de São Paulo, que aponta um julgamento com “conotações políticas transcedentais”. O mesmo jornal publicou, na noite de ontem, uma matéria com a ex-presidenta Dilma Roussef, que defende que tudo o que se passou no Brasil nos últimos meses fazem parte de um golpe que começou com o impeachment e continua com o processo contra Lula. Dilma defende ainda que, se confirmada a condenação ao ex-presidente, farão todas as mobilizações de que são capazes.

O também espanhol jornal La Vanguardia destaca as mobilizações em Porto Alegre na véspera do julgamento e diz que lula tomou um “banho de massas em uma maré vermelha”. A publicação destaca ainda a promessa de Lula de não deixar a luta na ruas para que os brasileiros tenham respeito e dignidade. O El Periódico, de Barcelona, destaca a tensão no Brasil nas vésperas do julgamento e fala da extrema vigilância em Porto Alegre, inclusive com o fechamento do espaço aéreo na região do Tribunal Regional Federal da 4ª região e o patrulhamento das águas do lago Guaíba.

O inglês The Guardian aponta que os nervos estão à flor da pele em todo o país e que a decisão do tribunal pode retirar Lula das Eleições 2018, destacando a extrema popularidade e o seu favoritismo para a disputa presidencial. A matéria também traz afirmação do advogado de direitos humanos Geoffrey Robertson QC que indica que o juiz Sérgio Moro falhou em provar a ligação entre o apartamento e decisão ou ato específico do presidente Lula. Para ele, “Moro não encontrou a arma do crime, pois ela não existe”.

Na França, o Le Monde destaca que as eleições presidenciais de outubro dependem da decisão do julgamento desta quarta-feira e que o Partido dos Trabalhadores já havia agendado o lançamento da candidatura de Lula para esta quinta-feira. O jornal destaca ainda que o PT não tem plano B para a candidatura à presidência e aponta nomes como o do ex-prefeito de São Pualo Fernando Haddad ou do ex-governador da Bahia Jaques Vagner como potenciais substitutos.

O conservador Le Figaro anuncia o futuro incerto de Lula e questiona a imparcialidade do judiciário brasileiro. A matéria destaca que o processo contra o ex-presidente Lula estaria comprometido, com a antecipação da sentença pelo presidente do TRF-4, além do comunicado à imprensa do Tribunal antecipando que Lula não iria diretamente para a prisão após a confirmação da decisão. O jornal francês traz ainda uma matéria explicando os casos de corrupção da Petrobrás.

O alemão Der Spiegel exibe uma foto de manifestantes contra Lula em São Paulo e descreve a mobilização dos movimentos sociais e a operação de segurança na capital gaúcha de “A batalha de Porto Alegre”. O jornal também aponta a fragilidade da sentença de Sérgio Moro que não apontaria evidência factual dos crimes atribuídos ao presidente Lula.

América Latina

O diário cubano Juventud Rebelde aponta que a judicialização da política poderia prejudicar hoje o Brasil e que por trás da decisão de hoje estariam interesses das oligarquias e da direita latinoamericana, que sempre usa a justiça para tirar a esquerda do poder.

O argentino Pagina 12 destaca na capa a cobertura ao vivo do julgamento e ainda texto de Eric Nepomuceno que descreve as mobilizações desta terça-feira em Porto Alegre. O jornal traz também dois artigos de opinião de Emir Sader e Martin Granovsky, que discutem as consequências políticas do julgamento de hoje.

O julgamento de Lula também é destaque nos portais das emissoras de televisão como a britãnica BBC e a rede latinoamericana Telesur.

No Saiba Mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.