21 de jan de 2018

E se Lula for absolvido?

Dez entre dez brasileiros estão convencidos de que Lula será implacavelmente condenado, no próximo dia 24, pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), aqui em Porto Alegre. Não só a mídia golpista como as redes sociais têm contribuído para isso.

Uma lufada de otimismo, contudo, tem assoprado na direção de alguns setores petistas que passaram a admitir a hipótese de que o ex-presidente perderá por razoável placar de 2 a 1.

A fragilidade da sentença de Moro que condenou Lula a nove anos e seis meses somada a uma série de trapalhadas cometidas pela direção do TRF-4 e à decisão da juíza Luciana Torre de Oliveira, da Segunda Vara de Execuções de Títulos do Distrito Federal (a que penhorou o tal do triplex do Guarujá para pagar dívidas da empreiteira OAS) começaram a corroer a certeza de que a pena de Moro seria automaticamente confirmada no julgamento do recurso.

A magistrada de Brasília – querendo ou não – mostrou ao país, de uma vez por todas, que o apartamento que Moro diz ser fruto de propina, simplesmente, não pertence a Lula ou a qualquer um dos seus familiares. A titularidade do bendito imóvel foi e continua sendo da construtora, exatamente, como vem provando a defesa do ex-presidente.

É bom lembrar ainda que a mobilização de alguns movimentos sociais – em especial o MST – em direção a Porto Alegre e a indignação mundial com a condenação sem provas foram elementos importantes para essa mudanças dos ventos. A presidente da Suprema Corte! Carmem Lúcia, na conversa que manteve, na semana passada, com o presidente do TRF-4, Thompson Flores, teria demonstrado preocupação com a substância da argumentação com que os desembargadores federais julgarão o recurso de Lula.

Se forem tão pífios quanto é a sentença de Moro, poderão comprometer ainda mais o já esfarrapado prestígio da Justiça brasileira dentro e fora do País. No mundo moderno, estabilidade institucional e o pleno estado de direito são fundamentais para que a economia funcione com normalidade.
Os três desembargadores do TRF-4 (João Pedro Gebran Neto, Leandro Paulsen, Victor Luiz Laus) que irão julgar o recurso, na próxima quarta-feira, diante de toda a tensão gerada em torno deste processo, perceberão que a História do Brasil passará pelas mãos e mentes deles?

Que não poderão cometer erros grosseiros com fez o colega deles de Curitiba?
Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil, e outros, como FHC,
se preocupam com a possibilidade de Lula sair inocentado do julgamento.
Na semana passada, Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil, dono de grandes e importantes empresas no Brasil e no mundo, em um encontro com seus executivos, indagou: “E, se o Lula for absolvido, o que vai acontecer?”.

Lemann juntamente com as Organizações Globo e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso são os principais incentivadores da candidatura à presidência da República do global animador de auditório, Luciano Hulk. Esse pessoal está com a pulga atrás da orelha.

A direita, que até agora não consegui arranjar um candidato à altura de uma disputa com Lula, está desesperada com a possibilidade de o petista sair vitorioso de Porto Alegre. No caso de um 2 a 1 a favor dele, inocentando-o de vez, o primeiro turno da sucessão presidencial estaria decidido já na quarta feira vindoura.

As eleições em outubro serviriam apenas para cumprir tabela. Hoje, com 36% das intenções de votos, de acordo com o DataFolha, Lula terá grandes chances de ganhar o pleito de outubro com mais de 60%.

E, o que deixa as elites e o famigerado “mercado” em pânico: o rolo compressor de Lula nas urnas deverá lhe dar a tão sonhada maioria na Câmara Federal e no Senado, garantindo-lhe uma governabilidade mais consistente.

Os líderes dos movimentos sindicais e políticos que começam a chegar a Porto Alegre para a o julgamento, não levam em consideração a possibilidade de Lula vencer essa batalha. Defendem com rigor a ideia de que ele com vitória no TRF-4 ou sem vitória terá que ser candidato a presidente de qualquer jeito.

Mas, se para o desespero da direita e do establishment pátrio Lula for absolvido, o Carnaval será antecipado em duas semanas. Começando pelas ruas de Porto Alegre.

Arnaldo César Ricci é jornalista, colaborador do Blog Marcelo Auler e encontra-se em Porto Alegre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.