27 de jan de 2018

Carta aberta à sua majestade Leandro Paulsen

Com toda humildade de súdito,  dirijo-me à vossa majestade. Quando, do alto do seu trono e sob o manto real, que no primeiro momento julguei que se tratava de uma toga, esclareceu que estava falando no plural majestático, passei a entender porque se sentiu no direito absolutista de afrontar todos os códigos a que nós, seus súditos, estamos submetidos.

Como seu súdito ouso afirmar que me senti constrangido a ver o monarca, no seu surto delirante, recitar, sisudamente, platitudes com ares de sabença.

Espero, que, no próximo Carnaval, para a tranquilidade dos seus jurisdicionados, possa, então, num surto de autocrítica, exclamar na avenida do bom senso: Que rei sou eu?

Renuncie ao seu trono, dispa-se do manto real, que o mundo do direito não lamentará a sua ausência.

Werner Becker, advogado, OAB-RS 3.950
No Sul21

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.