9 de jan de 2018

Bolsonaro, o “mito” que pode virar mico!


Saiu nesta terça-feira (9) na coluna Radar da direitista revista Veja:
Marqueteiro experiente decreta: ‘Bolsonaro começa a ruir’

Denúncias acertam em cheio aura de honestidade criada por Bolsonaro

De um importante marqueteiro, experiente em disputas eleitorais: as denúncias sobre o patrimônio de Jair Bolsonaro feitas pela “Folha de São Paulo” devem impactar sua candidatura.

“O mito que ele criou para si de ser o único político honesto pode começar a ruir”, diz.


As denúncias da “Folha”, na visão dele, vão jogar Bolsonaro na vala comum de políticos que se aproveitam do poder para enriquecer.

“Uma fatia grande do eleitorado o segue justamente por, supostamente, não ter os mesmos problemas da classe. Ao se beneficiar do cargo para obter vantagens pessoais, ele perde totalmente esse caráter”, diz.
A conferir nas próximas pesquisas de intenção de voto. Mas, sem dúvida, as denúncias recentes abalam o fascistoide travestido de vestal da ética. Até seus seguidores mais fanáticos e agressivos, que tratavam o candidato como “mito”, estão com cara de mico, de idiotas. No domingo (7), a Folha revelou que Jair Bolsonaro e seus três filhos multiplicaram o patrimônio em seus anos de atuação parlamentar. Eles hoje possuem 13 imóveis com preço de mercado estimado em R$ 15 milhões. A maior parte deles está localizada em áreas nobres do Rio de Janeiro e foi adquirida por valores registrados bem abaixo da avaliação da prefeitura da cidade.

Já nesta segunda-feira, a mesma Folha tirou do arquivo uma frase que mostra que a falta de caráter do velhaco é antiga. “Conselho meu e eu faço: sonego tudo o que for possível”, afirmou Jair Bolsonaro durante uma entrevista a um programa na TV Bandeirantes em 1999. “Se puder, não pago (imposto) porque o dinheiro vai pro ralo, pra sacanagem. Prego sobrevivência. Se pagar tudo o que o governo pede, você não sobrevive”, admitiu. No mesmo dia, a Folha também revelou que o deputado da extrema-direita ganha auxílio-moradia da Câmara Federal apesar de ter residência própria em Brasília.

“O presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e um de seus filhos, Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), recebem dos cofres públicos R$ 6.167 por mês de auxílio-moradia mesmo tendo um imóvel em Brasília. Ambos são deputados federais. O apartamento de dois quartos (69 m²), em nome de Jair, foi comprado no fim dos anos 90, quando ele já recebia o benefício público, mas ficou pronto no início de 2000. O político recebe da Câmara o auxílio-moradia desde outubro de 1995, ininterruptamente. Eduardo, desde fevereiro de 2015, quando tomou posse em seu primeiro mandato como deputado. Ao todo, pai e filho embolsaram até dezembro passado R$ 730 mil, já descontado Imposto de Renda”, revelaram os jornalistas Ranier Bragon e Camila Mattoso.

Diante destas graves denúncias – e de outras que estão no forno, segundo se especula nas redações –, o falso moralista extravasou sua postura fascista. Em seus perfis nas redes sociais, Jair Bolsonaro refuta “a mentira da esquerda amedrontada” e acusa a Folha de ser um jornal esquerdista – pausa pra gargalhada. Em outra postagem no Twitter, o valentão que adora destilar ódio tenta se passar por vítima. “O Brasil vive a maior campanha de assassinato de reputação de sua história recente protagonizada pela grande mídia. Chega a ser cômico, com tanto escândalo e crime dentro da política, a pauta são minhas ações lícitas. Escolheram viver no mundo da fantasia onde eu seria o mau”. É bom Bolsonaro “jair” se acostumando com a ideia de que o mito pode virar mico!

Altamiro Borges

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.