24 de jan de 2018

A memória do povo

Há um motivo para que Lula siga liderando todas as pesquisas acerca da eleição presidencial mesmo com a grande mídia massacrando-o diariamente há anos: a memória do povo.

Quem passava fome e começou a tomar café da manhã, almoçar e jantar não esquece. Quem viu os filhos se formando na escola depois de gerações obrigadas a largar o estudo para trabalhar não esquece. Quem se tornou a primeira pessoa de sua família a frequentar a faculdade não esquece. Quem finalmente passou a viver em uma casa própria não esquece. Quem passou a ter eletricidade depois de décadas na escuridão não esquece. Quem viu a sede se tornar um pesadelo do passado graças à construção de cisternas no Nordeste não esquece. Quem conquistou a possibilidade de trocar horas na estrada em ônibus desconfortáveis pela rapidez do avião não esquece. Quem viu um filho se tornar o primeiro membro da família a ter a chance de fazer um curso no exterior não esquece.

É por isso que a direita brasileira, associada à grande mídia corporativa, tenta de todo modo reescrever a História repetindo a mentira de que o legado do governo Lula é negativo. Mas não adianta: até hoje, nunca ouvi alguém ser capaz de dizer que sua vida piorou durante os anos em que Lula ocupou a presidência.

Não há manchetes falsas que mudem isso.

E não, não acredito que Lula seja culpado dos crimes que Moro lhe atribui. Ingenuidade? Não, senso comum. É absolutamente inacreditável que alguém apontado como líder do "maior esquema de corrupção da História" tenha ganhado por isso um apartamento no Guarujá e um sítio em Atibaia - aliás, NEM ISSO Moro conseguiu provar que ele recebeu, tendo sido desmoralizado por uma colega de toga que tomou o triplex DA OAS (comprovando que o imóvel pertencia a esta) para o pagamento de dívidas.

Ora, se Bolsonaro aumentou seu patrimônio de 1 para 15 milhões em apenas 7 anos (algo que seus seguidores consideram legítimo), como é possível que o líder do maior esquema de corrupção do planeta tenha recebido duas propriedades que nada valem diante do que foi supostamente roubado? Como é possível que tenham surgido gravações, documentos, comprovantes de depósitos e contas no exterior de praticamente todos aqueles que defenderam o golpe, mas nada disso tenha surgido contra Lula?

Então não, não acredito que Lula seja culpado. Mas não MESMO.

Por outro lado, tenho certeza de que sua condenação por Moro será reafirmada pelo TRF4, já que até a mídia internacional já se deu conta de que o judiciário brasileiro passou a desempenhar um papel meramente político com o objetivo de destruir a esquerda do país e, claro, aquele que se tornou seu líder mais célebre.

Minha confiança na dignidade e na integridade desse pessoal já desapareceu há tempos.

O que não significa que não devemos seguir lutando. Ao contrário: isto se torna cada vez mais fundamental.

* * *

O New York Times publicou uma coluna avassaladora sobre a politização do judiciário brasileiro e particularmente devastadora para Moro. O mundo todo já sabe o que nossa imprensa insiste em negar - e não é à toa que a direita, em vez de tentar rebater os argumentos do texto (o que não conseguiria fazer de todo modo), começou a espalhar ataques ao seu autor. O velho argumentum ad hominem.


Aproveito para linkar para a versão digital do livro "As Falácias de Moro", que disseca os absurdos da sentença do reizinho de Curitiba. https://drive.google.com/…/1BsSkXPLZltZBe3dnNsmMJZyoan…/view

Para encerrar, um texto certeiro escrito pela ex-ministra da Justiça da Alemanha (pois é): https://brasil.elpais.com/…/24/opin…/1516752475_259520.html…

Pablo Villaça

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.