23 de jul de 2017

Moro, olha o "propinoduto" do Lula

Eleição sem Lula é fraude

Bill Gates aprende com quem não fala inglês...

Do Instituto Lula

Entre 2011 e 2014, depois de deixar a presidência e deixar de ser funcionário público, Lula realizou 72 palestras para 45 instituições e empresas de diversos setores econômicos, nacionais e estrangeiras, como a Microsoft, Iberdrola, Telmex, Nestlé e Bank of América. Teve palestra no Museu de História Natural em Londres e na Biblioteca do Congresso Americano, em Washington. No Brasil, além de grandes bancos e construtoras, a Infoglobo, do Grupo Globo, contratou a LILS para uma palestra de Lula na Associação Comercial do Rio de Janeiro, pagando o mesmo valor por palestra que todas as outras empresas.

A realização de cada uma dessas palestras foi comprovada ao Ministério Público Federal por meio de fotos, vídeos e registros na imprensa, além de ter sido confirmada em depoimentos à Justiça por vários contratantes. Relatório com lista e relação de palestras já foi publicado há muito tempo na internet.

Lula poderia ter feito muito mais palestras profissionais do que fez, mas abriu mão de diversos convites pagos para falar, gratuitamente, para sindicatos, movimentos sociais, organizações multilaterais e governamentais, sobre temas como o combate a fome, integração continental e cooperação para o desenvolvimento e a paz mundial. Participou de atividades, gratuitamente, em países como Etiópia e Malauí, dentro da missão de promover políticas públicas de combate à pobreza e à fome.

Em 2014, quando tinha 68 anos de idade, e depois de um câncer, Lula decidiu aplicar parte dos recursos da LILS em um plano de previdência privada (PGBL), que tem como beneficiários seus filhos, que não são bilionários nem donos da Friboi. São os cerca de R$ 7 milhões bloqueados na Brasilprev. Um outro plano também bloqueado, no valor de R$ 1,8 milhão, tinha como beneficiária a esposa de Lula, Marisa Letícia, falecida esse ano.

Tudo dentro da lei, e feito com toda a documentação.



No CAf
Leia Mais ►

Fernando Haddad — Na Sala do Zé



Leia Mais ►

Alckmin já foi escolhido como o candidato do PIB e da Globo para 2018


Foto: Luiz C. Ribeiro
Uma fonte bem informada sobre o que se passa nas conversas regadas a bons vinhos franceses de restaurantes como o Gero garante que Alckmin já vem sendo tratado como a opção segura para 2018 pela chamada turma do PIB. E que executivos da Globo, autorizados pela família Marinho, participam das articulações com vistas a lhe garantir o apoio necessário para a travessia.

Vamos tentar explicar então o que significa travessia neste caso.

Alckmin foi um dos delatados pela Odebrechet de ter recebido dinheiro vivo para as suas campanhas de 2010 e 2014. Um dos receptores da propina seria o seu cunhado, Ademar Ribeiro. O outro, Marcos Monteiro, o MM, atual secretário de Planejamento do Estado de São Paulo.

Mas o nome que passeia nessas conversas é outro. Há o medo de que Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, sabidamente o responsável por operar boa parte do esquema do Rodoanel e do Metrô, venha a confessar se vier a ser preso.

É neste quesito que entra a Globo.

A emissora estaria agindo nos bastidores para evitar que o Ministério Público venha a investigar os tucanos paulistas e a assustar qualquer um que possa dar, como se diz no popular, com a língua nos dentes.

A criação de uma força tarefa da Lava Jato em São Paulo seria parte desta Operação Globo para salvar Alckmin e não ao contrário como alguns podem imaginar.

A equipe criada tem quatro procuradores: Thiago Lacerda Nobre, José Roberto Pimenta Oliveira, Anamara Osório Silva e Thaméa Danelon Valiengo. Todos seriam da estrita confiança de Daltan Dallagnol, que se comporta mais como garoto propaganda da emissora e algoz do PT do que como um agente do Estado.

Thaméa Danelon Valiengo já começou a dar entrevistas deixando claro qual será o jogo: processar Lula. Dia desses estava no antigo programa de Reinaldo Azevedo, na Jovem Pan, que agora é apresentado pela sua antagonista, Joice Hasselmann. E não citou uma única vez o nome de um tucano. Só de petistas.

Os donos do PIB consideram que se Alckmin conseguir passar pelo teste da Lava sem grandes infortúnios ele se torna candidato pelo PSDB e poderia, inclusive, vir a derrotar Lula se esse não tiver sua candidatura cassada.

A conta dos bacanas é de que Bolsonaro e Marina começariam melhor que Alckmin, mas que na campanha este cresceria porque a população não estará disposta a apostar numa aventura por conta do tamanho da crise.

E ainda acham que Alckmin teria condições de fazer uma ampla frente de centro direita que incluiria PSB e PPS, deixando Lula apenas com PT e PCdoB. E no máximo com o PDT.

Lula já anotou a chapa do caminhão e por isso citou que o candidato do PSDB deve ser Alckmin.

João Doria parece também já ter percebido que seu balão de gás murchou. E começa a se movimentar para uma candidatura ao governo do Estado, o que pode render uma crise com o vice governador Márcio França, que diz só levar o seu PSB para Alckmin se tiver o apoio dele para ser o candidato à reeleição no estado. Já que se Alckmin for candidato a presidente terá de se desincompatibilizar do atual cargo em abril.

Enquanto os amadores se divertem nas redes sociais, o jogo de 2018 já começa a ser jogado de forma muito profissional nos bastidores.
Leia Mais ►

A farsa da “Ferrari de ouro do filho de Lula”


O vídeo apareceu nas redes sociais no dia 22 de julho de 2017 e rapidamente se transformou num dos assuntos mais comentados da rede. Nele podemos ver dois homens entrando em uma linda Ferrari banhada a ouro conversível!!!

De acordo com o texto que circulou pela web, um dos homens que entram no carro dourado seria o filho do ex-presidente Lula e que eles teriam sido flagrados esbanjando dinheiro e ostentando o carrão no Uruguai!

Algumas versões desse mesmo vídeo foram compartilhadas no Facebook, gerando centenas de milhares de visualizações, mas será que essa notícia é real?






Em primeiro lugar, o vídeo não foi filmado no Uruguai. Podemos confirmar que as cenas foram capturadas em frente ao Hotel de Paris, em Monte Carlo:

Foto: Reprodução/Google Images
O vídeo em questão foi publicado dias antes em outros canais no YouTube e podemos notar que não há nenhuma menção ao dono do veículo ser o “Lulinha”:



Um zoom na trazeira do veículo mostra, apesar de meio desfocado, o final da sua placa (algo como “BGA” seguida de algumas escritas em árabe):


Note que a mesma placa pode ser vista nessa foto abaixo, tirada 8 dias antes, em Paris:


Na postagem dessa foto, o usuário do Redit afirma que essa Ferrari é de um árabe. Algo que não podemos confirmar, mas são visíveis escritas em árabe na lateral da placa!

Olha o mesmo carro nesse outro vídeo:



E aqui, também:



Para quem quiser comparar o homem da foto com fotos dos filhos do Lula, clique aqui numa pesquisa que fizemos no Google Images!

Conclusão

A Ferrari dourada do vídeo não é do filho do ex-presidente Lula. Comprovamos que o vídeo não foi gravado no Uruguai e que esse mesmo carro foi visto (e filmado) várias vezes em Paris!

Com E-Farsas
Leia Mais ►

Os problemas de Danellon, a Dallagnol paulista


Não começou bem a história da Lava Jato paulista.

Resume-se à transferência, para São Paulo, do desmembramento de algumas denúncias analisadas pelo STF (Supremo Tribunal Federal), contra réus que não disponham de foro privilegiado. De imediato, ganhou a cara da procuradora Thaméa Danellon, lotada em São Paulo, apresentada como a chefe da Lava Jato paulista.

Pelos primeiros movimentos, Thaméa representa a face mais comprometedora da Lava Jato.

É ativista política, conforme demonstrou participando ativamente das convocações do MBL (Movimento Brasil Livre) a favor do impeachment. Aliás, é sintomático o fato de terem sido abertas representações contra procuradores que participaram de atos contra o impeachment, e nada ter sido feito contra os que participaram ostensivamente dos atos a favor. Mas, enfim, esta é a cara do MPF.

Em São Paulo, Thaméa transformou-se em figura fácil de programas nitidamente partidários.

Em participação recente no Roda Viva, a procuradora expôs todo o Ministério Público, ao receber lições de direito de um jornalista. Sua reação foi ir ao programa da notória Joyce Hasselman, para poder distribuir afirmações taxativas sem risco de ser questionada, ocasião em que atacou o STF (Supremo Tribunal Federal), apontando-o como risco à Lava Jato.

No programa Pânico, da Jovem Pan, ela se permite criticar o hermetismo dos Ministros do Supremo, ou, como diz o apresentador do programa, “dos veinhos que ficam votando”.

Nesses tempos de Lava Jato, o Ministério Público Federal foi afetado de várias maneiras.

Primeiro, o jogo político, no qual os principais lances eram casados com eventos políticos. Depois, o protagonismo indesculpável de procuradores, se colocando como heróis nacionais e se apropriando (inclusive monetariamente, através de palestras)  dos benefícios de uma investigação que era mérito das prerrogativas constitucionais do MPF. Some-se a atuação política indevida, com pregações em redes sociais, rádios e TVs. Finalmente, o vazamento escandaloso de informações visando conquistar espaço junto aos veículos de comunicação.

Com exceção dos vazamentos – porque, a rigor, não há ainda o que ser vazado – a procuradora Thaméa simboliza todos os vícios desse MPF, o salvacionismo, o ativismo político, a figura fácil em programas de rádio e TV.

É cautelosa apenas nos elogios aos seus chefes presentes e futuros. É significativa a maneira como elogia o chefe que sai, Rodrigo Janot, e, mais ainda, a chefe que entra, Raquel Dodge.

Nos elogios ou nas críticas denota um tipo de personagem público que se pretendia superado depois dos intocáveis de Curitiba. Mais uma vez se verá os episódios canhestros de um MPF a reboque dos MBLs da vida.

Luís Nassif
No GGN
Leia Mais ►

Apólogo (Ode à Desordem Institucional)


Apresento-lhes o meu poema: “APÓLOGO” ( Ode à Desordem Institucional).

Trabalho original e inédito que dedico, com muito apreço, aos poetas políticos corajosos: Chico Buarque de Holanda, Boanerges Aguiar Castro e à minha esposa Dona Ângela.

Homenagem a: Gregório de Matos Guerra, (1636 a 1695) baiano, advogado, poeta satírico, patrono da Cadeira 16 da ABL.

* * *

Provas robustas e pernas esculturais são a primeira coisa que se deixa de lado!
                                        (Renal Cole)


Quem maneja o Congresso?............     Um Esperto.
E a Chefia da Nação?.......................     Um Vilão.
Cada um tripudiando?.......................     No Comando.
Em meio a tanto desmando,
Sou franco em lhes dizer,
Que se encontra no poder: 
Um Esperto e um Vilão no Comando.

-//-

A Justiça ao seu vilipêndio?.................   ”Índio”,
A inconsequência é o seu jogo?..........   ”Botafogo”,
Apostam até último expiro?.................    Em “Vampiro”.
Nem bomba, pancada e tiro,
Bala de prata ou benzer,
Isto nunca se vai ver:
“Índio” “Botafogo” “Em Vampiro”.
-//-

Quem homizia a perfídia?...................    Mídia,
E irriga o propinoduto? ......................     Corrupto,
Quem não faz exame crítico?...........       Político.
O Judiciário mítico
Despreza prova inequívoca,
Na "instrução" triunívoca:
Da Mídia, Corrupto e Político...
-//-

Quem conduz a cachorrada? ............     Bancada.
Quem lhe bonifica o salário?..............     Empresário.
Pós medidas provisórias?..................      Moratórias.
Decisões atentatórias
À moral e aos bons costumes,
Pró clientelismo aos queixumes:       
Bancada, Empresário, Moratórias.
-//-

Da "Receita" ocultaram? ...................      Tentaram.
De forma “sine qua non”?..................       Um ippon.
Com a grana da Suiça?.....................       Na Justiça.
Na areia movediça,
Projeto Repatriação,
Puseram parentes, em vão. 
Tentaram um ippon na Justiça.
-//-.

O Chefe usa, em acordo e trato?...........    Qualquer rato,
Sem sabatina pra o escolher?................    Pode ser.
Basta assumir o pacto sinistro?..............    Ministro.
Se a bancada indicar o cristo,
Notório saber não é nada.
E nem conduta ilibada. 
Qualquer rato Pode ser Ministro.
-//-.

A nação exige e prega?........................     Regra!
A um Congresso nada nobre?...............    Sobre
O exercício da função?..........................    Corrupção.
Aí... Ele ofende a nação,
Nas dez questões do MP,
Receoso de viger:
Regra Sobre Corrupção.
-//-

Com avaliação mequetrefe?...............   O Chefe.
E um punhal na jugular?.... ................    Impopular.
Repete de todas as formas?..............     Quer Reformas!
Abusa do ardil que transforma                                                       
Verbas e cargos em votos,
Périplo com os seus devotos. 
O Chefe Impopular Quer reformas.
-//-

Querem que o “Agente” se ferre?..........   PGR.
Por não barganhar em Inquérito?..........   Ético.
Pelas barbas do profeta?.......................   Não engaveta.
Quem botar “o seu” na reta
Vai ter que pagar pra ver,
Se Satanás não o acolher,
PGR Ético Não engaveta..
-//-

Sob o tapete se encaixam? ...... .............    Eles Acham:
Corrupção, Peculato, Vícios?...... ...........    Que Ilícitos!
Anda o carro e as melancias deitam?......   Se Ajeitam.
Leitão vesgo mama em duas tetas.
Querem tirar o bode da sala!
Com grana suja dentro de mala? 
 Eles Acham que Ilícitos se Ajeitam.
-//-

Fístula do antropocentrismo?...................     Corporativismo:
É Político "cepa de Ipê Marrom"?.............     Do Bom,
Com o "Baobá" "âmago de Bambual?......     Com o Mau.
Os dois: joio e trigo afinal, 
Dão apoio à desfaçatez. 
Gênesis seis versículo seis !
Corporativismo do Bom com o Mau. 
-//-

Nas estratégias das súcias?................    Astúcias.
Nos acordos e alinhavos?....................    Conchavos.
Nas pautas dos picaretas?..................     Mutretas.
Simulacros de exegetas!
O que vaza de indecente
Do currículo dessa gente "?"
Astúcias, Conchavos, Mutretas... 
-//-

Se pós certeza tamanha?...................    A montanha
Dos fatos e provas ruir?......................    Parir.
Desnudando a “Lava Jato”?................    Um rato.
Ninguém vai engolir esse sapo.
E o Brasil vai ficar fulo.
Se todo o presépio for nulo.
E a Montanha parir um rato.
-//-

E o articulador-mor?..............................   O Maior.
O tal do “Consenso” atroz? ...................   Algoz.
Que confunde opiniões?........................   Das Nações,
E induz capitulações
De representante traíra,
Do “Pinochet”, que admira
O Maior Algoz das Nações.
-//-

“Greed is good” é como veem? .............  Creem.
No mantra da Reagan empiria? ............   Na própria.
Torpeza em alça de mira?       ...............   Mentira.
“Subprime”, em crise, pira!
A ganância é pegadinha.
Mitômanos de carteirinha:
Creem Na própria Mentira.
-//-

Procura,  oferta: ágio incrível?..............   Mão Invisível.
Economia de Mercado, gana?..............    Afana.
Sobra de produção: cortesia?...............    Mais Valia.
Riqueza das nações e anomia:
“Self interest”, “Laissez Faire”,
A plebe rude que se ferre! 
Mão Invisível Afana Mais Valia.
-//-

E o liberalista refém?..........................     Diz amém!
Pra quem saqueia o Brasil?................     Vil.
Cara de pau, nua e crua?...................     Falcatrua.
É natural, se prostitua,
Por conta de trinta pratas.
Papagaio de pirata:
Diz amém: Vil Falcatrua !
-//-

Neste sistema refém?..... ...................     Ninguém.
Onde a Justiça é vassala?..................     Fala.
Quer imprensa, ou establishment?.....     Em "impeachment".
Nem "society" e nem "management"
Dão “pitaco” na desordem.
Acoitam os micos que explodem.
Ninguém fala em "impeachment".
-//-

Nem por questão de resgate?...........      Não bate.
Muito menos à Janela?......................     Panela.
Conivência que deplora?...................      Agora.
Quem foi na paulista afora,
Vestindo a amarelinha,
Mesmo não sendo “coxinha”
Não bate panela agora.
-//-

Pune-se, à sorrelfa, uma Chefe? ........   O STF:
“Trupe-Um-Sete-Um” em suma?....   Uma
Indez “Pedalada Fiscal”?.  ..................   A Pá-de-cal.
Num Veredicto animal:
O TCU deu a cova,.
O Congresso a desova,
O STF: A Pá-de-cal !
-//-

Arguiram ações infamantes? .............    Antes       
Coisa normal e simplória?..................    Na história.
De alçada do poder motriz?................    Deste país.
A Canalha fez o que quis,
Na "Motherfuckin'House",
Nunca se viu tanto ultraje
“Antes na história deste país”.
-//-

Julgamento sem prova albergado?..........   No Estado.
Regime incomum de sanção?..................   De Exceção.
Veredictos tisnam a “moral”?..................   Judicial,.
É “lawfare” desde a exordial,
Extra petita e teratológicos,
Que Já se transformaram em “teatrológicos”, 
No Estado de Exceção Judicial
-//-

Das imorais autoridades?   ....................     Nulidades.
Na lama em que chafurdam? .................    Triunfam..
Reféns do sujo metal?  ..........................     No mal.
Prospera a desonra moral.
Cresce a injustiça velada.
Desanima a virtude abalada.
Nulidades Triunfam no mal.
-//-

POST SCRIPTUM: Registro poético histórico de um Brasil aviltado, após o impeachment da Presidente Dilma Rousseff.

Renal Cole
 23.07.2017
Leia Mais ►

Mercosul aprova trem Bioceânico proposto pela Bolívia


Durante a cúpula do Mercosul, a Bolívia levantou a ferrovia bi-oceânica Central como uma forma de integração comercial entre os portos do Brasil e do Peru.

O Mercado Comum do Sul (Mercosul) aprovou uma declaração especial sobre uma ferrovia bi-oceânica Central proposta pela Bolívia, como uma forma de integração.

O corredor ferroviário de cerca de 3.755 km que fará a ligação do porto de Santos no Brasil no Oceano Atlântico, ao porto de Ilo, no Peru, ligando assim o centro da América do Sul aos portos marítimos, facilitará as exportações para a Ásia.

O vice-ministro de Comércio Exterior e Integração da Bolívia, Clarems Endara, destacou que a iniciativa deste projeto que é agora de interesse para os países do Mercosul, assim como tem sido para a União de Nações Sul-Americanas (Unasul).

O trem terá um investimento de 10 bilhões de dólares e já foram levantados quatro estudos de pré-investimento pelo país andino. O primeiro é perspectiva comercial, de mercado e de logística alternativas; o segundo para o corredor estratégicoa resultante; o terceiro de avaliação ambiental e o último sobre o traçado, desenho básico preliminar, custos de construção e operação.

O Mercosul classificou o projeto como uma oportunidade para uma maior integração com a União Europeia, a Aliança do Pacífico e os mercados asiáticos.

No teleSUR
Leia Mais ►

Trilhão

‘Trilhão” era uma palavra pouco usada antigamente. Uma pessoa podia nascer e morrer sem jamais ouvir a palavra “trilhão”, ou só ouvi-la em vagas especulações sobre o número de estrelas no universo. O “trilhão” ficava um pouco antes do infinito. Dizia-se “trilhão”, em vez de dizer “incalculável” ou “sei lá”.

Certa vez (autobiografia), tive que responder a uma questão de Geografia num exame oral da escola. A pergunta era “qual é a população da China?” Com alguma presença de espírito, eu poderia perguntar para a professora: “A senhora quer saber neste exato momento?”, dando a entender que, como o que mais acontece na China é nascer gente, uma resposta exata seria impossível. Mas meu espírito não estava presente. Ainda estava em casa, dormindo. Respondi:

— Numerosa.

Ganhei um zero, claro. Meu “trilhão” era sinônimo de “numeroso”. Não era um número, era uma generalização. Você dizia “trilhão”, e a palavra subia como um balão desamarrado. Hoje não passa dia em que não se ouve falar em “trilhão”. Os trilhões da corrupção vão aos poucos se tornando nossos íntimos. Quantos zeros tem um trilhão? Doze, acertei Se os zeros fossem pneu, o trilhão seria uma jamanta.

E deve estar vindo por aí o quatrilhão. “Quatrilhão” é uma palavra feia. “Quatrilhão” é pior do que “seborreia”. A mente humana, ou pelo menos a mente brasileira, não está preparada para o quatrilhão. As futuras gerações precisam ser protegidas do quatrilhão. As reformas monetárias, quando vêm, vêm para acomodar as máquinas calculadoras, desprezando o senso do ridículo — já que caem os zeros mas nada, realmente, muda. A próxima reforma talvez seja a primeira motivada por um certo pudor linguístico e substitua “quatrilhão” por algo mais bonito. Pelo menos um nome mais bonito.

MARCO AURÉLIO GARCIA

Quando o Marco Aurélio Garcia e a Beth estavam exilados em Paris, nós lhes levávamos notícias do Brasil, de parentes, de amigos em comum e do Internacional. Ele nos retribuía com ótimos jantares que — milagrosamente, dada a escassez de dinheiro no exílio — ele mesmo improvisava. E também com sua inteligência e seu humor. O Marco Aurélio morreu na última quinta-feira. Vai fazer falta.

Luís Fernando Veríssimo
Leia Mais ►

Dilma na Paraíba: Foi dado um golpe



Leia Mais ►

Assessor de luxo de Temer sumiu da mídia

Eles
Em meados de maio, a Polícia Federal, no curso da chamada Operação Panatenaico, prendeu dois ex-governadores do Distrito Federal (José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz) e um ex-assessor especial de Michel Temer sob a suspeita de recebimento de propina na construção do estádio Mané Garrincha. Já no final de junho, um relatório das diligências policiais vazado pela revista Época indicou que o amigão do Judas, o sinistro Tadeu Filippelli, levava uma vida de luxo. Na reportagem intitulada “PF achou obras de arte e vinhos caros em buscas contra ex-assessor de Temer e ex-governador do DF”, o jornalista Aguirre Talento deu alguns detalhes sobre a vida nababesca do aspone.

“Relatório policial da busca e apreensão, obtido por Época, afirma que Filippelli ‘mantém padrão de vida elevado, ostentando vestuário, bebidas finas, artigos de luxo, móveis e veículos’. A PF encontrou ao menos 69 quadros na residência dele, que foram fotografados para a avaliação do valor deles. Entre as obras estão um quadro de Niemeyer que contém uma de suas célebres frases, “F... não tem vez”, e quadros dos pintores Volpi e Poteiro. Esses objetos não chegaram a ser apreendidos pela PF. A diligência encontrou também notas de compra em leilões de obras de arte e uma adega repleta de vinhos. Na busca contra Filippelli, foram apreendidos dois celulares e um notebook, cujo conteúdo ainda está sob análise dos investigadores”.

“Já na residência do ex-governador José Roberto Arruda (DEM), chamou a atenção da PF a quantidade e o valor dos vinhos. ‘Destaque para as garrafas do vinho Mouton-Rothschild, orçadas de R$ 7 mil a R$ 10 mil cada (...). Crê-se, por suposição deste signatário, que os vinhos existentes na adega devem alcançar o valor estimado de R$ 80 mil a R$ 100 mil’, diz o relatório. As fotos também mostram champanhes Dom Pérignon, cujos valores de mercado são superiores a R$ 1.000. Ainda na residência de Arruda, a PF também fotografou sete quadros e joias de sua mulher, cujos valores ainda estão sendo apurados pelos investigadores. Foram apreendidos documentos, um celular, dois notebooks e um veículo Jipe, ano 2015”.

A matéria não trata do resultado das buscas na residência do ex-governador Agnelo Queiroz (PT). O interessante é que a mídia privada, que adora promover a escandalização da política, nada mais falou sobre as investigações contra o ex-aspone do Judas. O assunto não virou manchete nos jornais e nem foi motivo de comentários indignados nos telejornais. A própria TV Globo evitou fazer escarcéu com as denúncias da revista Época, que pertence à mesma famiglia Marinho. Já a Polícia Federal, agora sob o comando da quadrilha de Michel Temer, parece que arquivou o caso – “estancou a sangria”. E a vida segue!

Altamiro Borges
Leia Mais ►