8 de dez de 2017

Só falta o Sadam: A nova “bomba” contra Lula é dinheiro do Kadafi

Palocci, condenado a doze anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, tenta de todas as formas conseguir uma história que diminua sua pena. Faltam apenas provas


Desta vez o dinheiro teria vindo da Líbia. Mais precisamente de Muamar Kadafi, a quem a Veja atribui “irmandade” com o então presidente Lula. De acordo com dados extraídos da tentativa de delação de Antônio Palocci, o líder Líbio teria enviado secretamente, em 2002, 1 milhão de dólares para a campanha eleitoral de Lula.

Palocci tenta, há sete meses, conseguir algo contra Lula que amenize a sua pena. O ex-ministro que virou consultor e chegou a movimentar 200 milhões de reais na conta de sua empresa de consultoria, foi condenado a doze anos por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Por outro lado, a revista Veja tenta em capas consecutivas e alternadas, ora emplacar um candidato, outra detonar uma bomba que acabe com a candidatura de Lula. Não tem tido sucesso nem por um lado e nem por outro.

Desta vez, o ataque vai contra o PT também, já que doação ilegal de recursos estrangeiros pode resultar na cassação de um partido.

Tanto no caso de Palocci quanto da Veja, não faltam histórias mirabolantes. Faltam provas.

No Fórum

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.