15 de dez de 2017

Gentili e Bolsonaro, os misóginos punidos


O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e o “humorista” Danilo Gentili têm vários pontos em comum. Foram participantes ativos da cavalgada golpista que depôs Dilma Rousseff e levou ao poder a quadrilha de Michel Temer. Eles também comungam de várias ideias fascistas, destilando ódio e preconceito em seus respectivos palanques – no parlamento e na mídia. Ambos são racistas, homofóbicos e misóginos – têm aversão às mulheres. Agora, felizmente, eles têm outra coisa em comum. Os dois acabam de ser derrotados pela deputada Maria do Rosário (PT-RS), uma das principais vítimas destes dois seres patéticos.

Segundo matéria postada nesta quinta-feira (14) no site da revista Veja, “Danilo Gentili terá que retirar das redes sociais vídeo contra a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS). Inicialmente, o pedido da parlamentar à Justiça havia sido negado. Ao recorrer, ela conseguiu decisão favorável ainda em junho e o humorista deveria apagar o vídeo em 24 horas sob pena diária de 500 reais. Em novo recurso, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul decidiu mais uma vez a favor da deputada. Para o desembargador Túlio Martins, o vídeo de Gentili é misógino, ‘representando agressão despropositada a uma parlamentar e às instituições, materializando-se virtualmente em crime que, se for o caso, deverá ser apurado em instância própria’”.

Na primeira vez em que foi punido, em junho, o “humorista” do SBT gravou um vídeo em que rasgava a notificação da Justiça, enfiava o papel picado dentro das calças e colocava de volta em um envelope com a frase: “com um cheirinho especial”. O gesto obsceno, típico do fascistoide que adora os holofotes, foi encarado como uma provocação. Agora, ele sofre nova derrota na Justiça. “Constata-se que, a princípio, o conteúdo apresentado naquilo que seria um vídeo humorístico em verdade não é notícia, nem informação, nem opinião, nem crítica, nem humor, mas apenas agressão absolutamente grosseira marcada por prepotência e comportamento chulo e inconsequente”, reagiu o juiz. Na sua página no Facebook, Maria do Rosário festejou o resultado. “Ofensa tem preço”, postou. Já o “humorista” metido a valentão, retirou o vídeo do seu canal no YouTube.

Outro metido a valentão, o “presidenciável” Jair Bolsonaro também foi recentemente derrotado na Justiça e tenta escapar da punição. Segundo matéria da revista Época, postada nesta quarta-feira (13), “O deputado federal apelou ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal no caso da condenação que o obriga a indenizar a deputada Maria do Rosário (PT-RS) em R$ 10 mil por danos morais. A ação foi ajuizada pela petista após o discurso em que Bolsonaro afirmou que não mereceria ser estuprada. Ele havia recorrido ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e perdeu... Jair Bolsonaro é processado criminalmente pela Procuradoria-Geral da República por incitação à violência”.

Altamiro Borges

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.