9 de nov de 2017

William Waack foi vítima de fogo amigo?

A Globo já afastou William Waack da apresentação do Jornal da Globo, numa decisão tão contundente quanto rápida. Na nota, disse que “é visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações”.

A Revista Fórum se não foi o primeiro veículo a publicar a história, foi um dos primeiros. Porque a história surgiu no Twetter e o redator, Julinho Bittencourt, por um acaso, seguia alguém que teve acesso ao vídeo logo que foi postado.

Antes de autorizar a publicação, assisti ao vídeo algumas vezes. Autorizar uma publicação dessas não é uma decisão fácil. Mas não havia chance de aquele vídeo ter sido editado. A redação da Fórum decidiu então por publicá-lo.

Depois dessa decisão, a apuração continuou. Quem era a pessoa que estava com Waack e que, de certa forma, mesmo constrangido, deu risada da frase racista de Waack? Fórum fez uma matéria para explicar quem era Paulo Sotero. (leia abaixo)

E fomos dando toda a repercussão do caso, até a queda de Waack que foi prevista neste blogue logo ao final tarde. Quem está na rede há muito tempo, sabe que uma tsunami dessas não pode ser contida nem pela toda poderosa Globo. Foi um massacre.

Mas antes mesmo de Waack cair conversei com uma pessoa que trabalhou na Globo por mais de uma década e que me garantiu ter conversado com alguns colegas da emissora. Sua tese: isso tem cheiro de golpe.

Waack é um profissional caro e chato. Ninguém mais na Globo o suportava. Nem mesmo a audiência. Nem mesmo Ali Kamel. Mas Waack é alguém que tem um certo poder e demiti-lo sem mais nem menos não seria tarefa fácil nem pra Kamel.

Como Waack sempre faz esse tipo de graça canalha, qualquer um que quisesse detoná-lo, saberia que uma pesquisa iria revelar vídeos como este.

Ou ainda, essa pessoa pode ter guardado este vídeo para o momento oportuno.

Ou seja, agora começa uma nova apuração. Quem soltou este vídeo racista de William Waack? E com que interesse?

Não é algo tão difícil de descobrir e pode ser algo tão demolidor quanto o próprio vídeo.

Renato Rovai
No Blog do Miro



Quem é Paulo Sotero, o que ri da piada racista de William Waack?

Companheiro de piada racista do jornalista da Globo é diretor de uma instituição norte-americana. O vídeo, inclusive, foi gravado há exatamente 1 ano, em 8 de novembro de 2016, durante a cobertura da vitória de Donald Trump


O assunto desta quarta-feira (8) é, definitivamente, a declaração racista de William Waack, jornalista da Globo, que vazou em um vídeo nas redes sociais. Pouca atenção se deu, no entanto, ao homem que ri quando o âncora fala que as buzinas que o incomodavam era “coisa de preto”. O homem ao lado de Waack responde que “sim” quando o jornalista faz a “piada”.

Trata-se de Paulo Sotero, um dos principais apoiadores do impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff em território norte-americano. Ele é diretor do Brazil Center no Woodrow Wilson Center, uma instituição dos Estados Unidos de estudos de geopolítica. Ele estava com Waack, na ocasião, para comentar a vitória do presidente Donald Trump. A transmissão em que o jornalista fez a declaração racista foi ao ar há exatamente um ano, em 8 de novembro de 2016.

Fórum apurou que Sotero, que já foi correspondente da Globo, não é tão odiado quanto Waack na emissora, mas é considerado um dos jornalistas mais “chatos” que já passou por lá.

Ao site BuzzFeed Brasil, Sotero disse que não se lembrava do vídeo e que – apesar de o vídeo mostrar que ele ri e concorda – não “brinca” com racismo.

No Fórum

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.