11 de nov de 2017

Pudor, Doutor? Não tem, acabou. Serve Lula frito?


Era um regabofe, bancado pelo empresariado, nos salões do Graciosa Country Club de Curitiba, para dar uma medalha a Luiz Edson Fachin, do STF, esta figura que não cessa de encolher desde que abiscoitou a toga de ministro do Supremo Tribunal Federal e, sobretudo, depois que a morte de Teori Zavascki deixou-lhe a rica herança de Barão da Lava Jato.

Entre os comensais, toda a linha de comando da operação: Deltan Dallagnol, Sérgio Moro, seu amigo e revisor de suas sentenças, João Pedro Gebran Neto, e o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz.

Todos devidamente ciceroneados por Beto Richa, o polidenunciado governador tucano do Paraná.

Era, portanto, uma “social” da província, lugar mais que inadequado para se falar de julgamentos de processos que podem abalar a vida de toda a nação, não é?

Qual nada!  Gebran e Thompson Flores não se fizeram de rogados e deram entrevista ao repórter Vinicius Boreki, do UOL, meio que a prometer fazerem  seus “deveres de casa” e proclamarão a sentença (adivinhe com que teor) de Lula  antes que aquela de deveria ser a suprema juíza, a população, possa falar, em 2018.

É, diz Flores, “interesse da nação”, esperançoso que três votos de desembargadores anulem o que poderia ser o voto de dezenas de milhões de cidadão. O relator Gebran também não se furtou a falar – o que seria absolutamente justificável, dado o ambiente – e acenou com “boas notícias”: ‘talvez seja possível julgar antes das eleições”.

E todos entregaram-se, então, aos comes e bebes trazidos pelos garçons.

Já tinham provado Lula frito de entrada, porque decoro não faltava no cardápio.

Fernando Brito
No Tijolaço

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.