18 de nov de 2017

Marcelo Campos Pinto, ex-diretor da Globo, era membro de Comitê da FIFA

Ao mesmo tempo em que era diretor da Rede Globo e negociava contratos de transmissão de partidas para a emissora, executivo também ocupou Comitê de Imprensa da FIFA


O ex-diretor da Globo Esporte, Marcelo Campos Pinto, tornou-se uma das peças-chave para a emissora de televisão ser posta contra a parede no escândalo da FIFA, com o julgamento do ex-presidente da CBF, José Maria Marin, em Nova York, nesta semana. A Rede Globo nega participação nos ilícitos. Mas o GGN comprovou que o executivo chegou a ocupar posto no Comitê de Imprensa da FIFA em 2014.
O ex-diretor da Globo era o responsável por negociar os contratos da emissora para as transmissões dos torneios de futebol. Sua relação de grande amizade com cartolas como Marco Polo Del Nero levantou suspeitas contra o executivo. Passou a ser alvo direto das acusações, durante os depoimentos de Alejandro Burzaco, empresário argentino da Torneos y Competencias (ex TyC).
Burzaco narrou que o  então diretor da Globo Esporte reuniu-se com os dirigentes para aceitar repasses da ordem de US$ 600 mil a Marín e Del Nero, e que, posteriormente, a emissora aceitou pagar outros US$ 15 milhões ao vice-presidente da FIFA na época, Julio Grondona, juntamente com a Televisa e Torneos y Competencias para as transmissões das Copas do Mundo de 2016-2030 no Brasil e América Latina.
O GGN mostrou durante esta semana reportagens que comprovam o elo, que ia para além de cortesias profissionais, entre Marcelo e os cartolas do esquema criminoso e que somente hoje faz a emissora se tornar alvo direto das investigações da FIFAgate. Em comunicado, a Globo nega as irregularidades e que "não pratica nem tolera qualquer pagamento de propina".
Agora, o GGN comprova que Marcelo Campos Pinto não apenas era o responsável pelos contratos da Globo e mantinha relação de amizade com os investigados do escândalo, como ainda chegou a ocupar posto no Comitê de Imprensa da FIFA.
A informação foi divulgada, primeiramente, pelo jornalista Jamil Chade, em sua conta no Twitter, com a fotografia:
O nome, como se verifica na imagem, de Marcelo Pinto aparece ao lado da bandeira do Brasil e caracterizado como "membro" do Comitê. Entretanto, sem a especificação da data em que o executivo integrava comitê de decisões internas da FIFA, e nenhuma outra informação sobre o tema foi divulgada.
Na página oficial, o nome de Marcelo Pinto não estava mais na lista de membros do setor:
Os esforços para apagar o nome do empresário em associação à FIFA mostraram-se ainda maiores. Em uma consulta, por meio Google, sobre o nome de Marcelo dentro do site da FIFA, um único resultado:
Ao clicar no endereço, uma página relacionada ao ex-diretor da Globo ainda resta nos resquícios do site. Entretanto, nada além é apresentado.
Por meio de uma análise do código HTML, o GGN identificou que a data de criação daquela página, relacionando Marcelo Pinto ao Comitê de Imprensa, é de 2014.
Naquele ano da Copa do Mundo realizada no Brasil, Marcelo comandou o Comitê de Imprensa da FIFA, fazendo parte da equipe diretiva da Rede Globo ao mesmo tempo. Um documento produzido à época, reproduzindo as informações que constavam no site oficial, ainda trazem os dados:
"Quem são os membros da FIFA?", pergunta o título que antecede a tabela com os nomes. Trata-se de um trabalho escolar de inglês, sobre a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, confirmando o ano em que o empresário ocupou Comitê interno da FIFA.
Dois anos antes de Marcelo Campos aparecer como membro da FIFA, para a Copa do Mundo no Brasil, o então diretor da Rede Globo afirmou em entrevista que a emissora estava "muito orgulhosa de trabalhar em parceria com a FIFA em muitos projetos relacionados à Copa das Confederações da FIFA 2013 e à Copa do Mundo FIFA 2014".
"Consideramos que o projeto envolvendo eventos de exibição pública é fundamental, pois servirá para reunir o país e aumentar o espírito alegre dos brasileiros em torno das Competições da FIFA", completava.

Patricia Faermann
No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.