25 de nov de 2017

Gleisi diz que PGR quer condená-la sem provas na Lava Jato


A senadora Gleisi Hoffmann diz que ficou estarrecida ao saber que a Procuradoria-Geral da República pediu sua condenação e afastamento do mandato em um processo da Lava Jato no qual a petista é acusada de corrupção passiva. Segundo Gleisi, a PGR não demonstrou qualquer prova de que ela ou seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, tenham favorecido negócios gerenciados por Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras condenado por receber propina de empresários.

"Estou estarrecida, indignada. Não me deram esse dinheiro, não peguei esse dinheiro. Eu quero saber que vantagem eu dei a esse Paulo Roberto Costa? Peguem todos os meus projetos de lei, todos os meus atos como ministra da Casa Civil. O que a gente mais fazia era brigar. Como eu posso ser acusada de corrupção passiva se não há nenhum ato meu de corrupção?", disse. Assista ao vídeo abaixo.

A senadora ainda atribuiu o fato de ter sido delatada pelo doleiro Alberto Youssef ao fato de seu advogado, Antonio Figueiredo Basto, ter relações com o PSDB. "Todo mundo no Paraná sabia disso. E eu era uma das maiores opositoras do governo do Beto Richa."

Em nota, o PT afirmou que o Ministério Público não produziu provas contra Gleisi, além de ter aceitado delações vagas e sem fundamentos para construir a ação penal.

Nas alegações finais, a procuradora-geral Raquel Dodge sustentou que Gleisi deve ser condenado porque o PT perdeu crédito junto à população.



Leia a nota do PT:

Acusações contra Gleisi são falsas e mostram perseguição ao PT

1) São totalmente falsas as acusações feitas contra a senadora Gleisi Hoffmann na Ação Penal que ela responde junto com o ex-ministro Paulo Bernardo.

2) O Ministério Público montou a denúncia com base exclusivamente em delações contraditórias de réus interessados em obter benefícios penais, sem apresentar nenhuma prova, o que é contra a lei.

3) A defesa demonstrou e até o Ministério Público reconheceu, no processo, que os delatores não foram capazes sequer de dizer como, quando e onde teriam sido realizados os supostos e inexistentes pagamentos.

4) As alegações finais da Procuradoria-Geral da República repetem os mesmos vícios da denúncia original, infundada e arbitrária.

5) O processo sem lastro montado contra a senadora e o ex-ministro será desmontado nas alegações finais da defesa ao STF.

6) A violência cometida contra a presidenta Nacional do PT mostra, mais uma vez, a perseguição contra o partido e suas lideranças, movida por setores do sistema judicial e da mídia.

7) O PT seguirá lutando pelas grandes causas do Brasil, pelo restabelecimento pleno do estado de direito e para que a justiça seja feita.

No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.