12 de nov de 2017

Amizade armada: benefícios ocultos da cooperação militar entre Rússia e China


Devido à crise ucraniana, a Rússia está aprofundando sua união estratégica com a China. O componente mais importante é o fortalecimento da cooperação técnico-militar, indica um artigo do Centro Carnegie de Moscou.

Depois de as sanções dos EUA e da União Europeia terem entrado em vigor, Moscou e Pequim concluíram negociações para o fornecimento de sistemas de defesa antiaérea russos S-400 à China. No outono de 2015, foi firmado um acordo para a entrega de 24 aviões Su-35S de geração 4++. O custo dos dois contratos totalizou cerca de 1,9 bilhões de dólares (R$ 6,2 bilhões). A primeira remessa de quatro Su-35 foi entregue a Pequim no fim de 2016. O começo de entregas dos S-400 está previsto para o fim de 2017.

Outra importante área de cooperação técnico-militar bilateral é a construção de motores para aviões. Assim, Moscou fornecerá à China motores D-30 e AL-31F, no valor de um bilhão de dólares.

Segundo o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, em 2016, o volume de bens e serviços militares vendidos à China superou 3 bilhões de dólares (R$ 9,8 bilhões) enquanto o total de encomendas chinesas atinge aproximadamente 8 bilhões de dólares (R$ 26,2 bilhões).

Os autores do artigo, Aleksandr Gabuev e Vasily Kashin, acreditam que a parte restante destes 8 bilhões de dólares possa corresponder às vendas de mísseis antinavio, fornecimento de peças, materiais e equipamentos, bem como numerosos trabalhos de estudo e desenvolvimento.

"Hoje em dia, a cooperação representa, em primeiro lugar, não alguns grandes contratos, mas sim dezenas ou centenas de pequenos acordos, mal identificados pela mídia", sublinham os autores. A cota-parte das vendas à China totalizou cerca de 20% das receitas russas de exportação de armas em 2016.

A Rússia, por sua vez, está interessada na compra de motores diesel chineses para seus navios de patrulha da Guarda Fronteiriça. Além disso, têm sido realizadas negociações para a compra de tecnologias chinesas para a criação de componentes eletrônicos de uso espacial, em troca de tecnologias de produção russas do foguete RD-180.

Apesar de haver poucos contratos novos, os especialistas do Centro Carnegie de Moscou insistem em não subestimar sua importância para a China: os S-400 e os Su-35 melhorarão significativamente no futuro a capacidade de combate do exército chinês no Pacífico, onde Pequim precisa de demonstrar cada vez mais seu potencial de dissuasão perante os EUA e seus aliados e onde há risco de uma confrontação militar limitada.

"Depois de ter instalado os S-400 nas ilhas artificiais do mar do Sul da China e de expandir as capacidades de sua aviação por meio dos Su-35, Pequim se aproximará de seu objetivo — instalar uma zona de identificação de defesa antiaérea na região disputada", afirmam Gabuev e Kashin.

Nomeadamente, graças ao alcance dos S-400, a China poderá controlar o espaço aéreo de Taiwan e das Ilhas Senkaku, acreditam os autores.

China revela arma hipersônica capaz de enganar defesa antimíssil norte-americana

As imagens do que se supõe ser o DF-ZF, capaz de transportar ogivas nucleares a uma velocidade de mais de 12 mil km/h, foram mostradas pela televisão estatal chinesa.

A China revelou pela primeira vez a sua nova arma hipersônica DF-ZF desenvolvida para transportar cargas nucleares a uma velocidade de mais de 12 mil km/h. O que parece ser um protótipo deste veículo de ataque nuclear, capaz de enganar os sistemas antimísseis dos EUA, foi mostrado pela CCTV (Televisão Central da China), informa o RT.

Durante uma transmissão em 8 de outubro, foi mostrado o túnel hipersônico JF-12, o maior do mundo, dentro do qual é visto um dispositivo em forma de flecha. De acordo com Raymond Wang, especialista em propagação internacional de armas nucleares, estas são "as primeiras imagens de um objeto real" que correspondem a uma versão do DF-ZF.



Deste modo, Pequim pode ter abandonado o alto nível de secretismo em torno desta arma de dissuasão poderosa. Anteriormente, os EUA haviam testado uma arma hipersônica capaz de atacar qualquer lugar do mundo em uma hora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.