20 de out de 2017

Mello Franco: Raquel cala a boca de Geddel. Será?


Bernardo Mello Franco, na Folha de hoje, chama a atenção para um ponto para lá de suspeito no parecer da procuradora-geral Raquel Dodge contra a concessão de prisão domiciliar ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, o homem do apartamento de R$ 51 milhões: é que, ao apontá-lo como “líder de organização criminosa”, pela lei, Dodge fecha a porta para uma eventual delação do há décadas cúmplice de Michel Temer.

Até a posse de Dodge, o Ministério Público via o ex-ministro como integrante do segundo escalão do quadrilhão do PMDB. O novo parecer parece apontar duas mudanças importantes para o futuro da Lava Jato.

Na primeira, a Procuradoria passaria a entender que Geddel não cumpria as ordens de um chefe. Na segunda, ele perderia as condições de fechar uma delação, já que o acordo não pode ser oferecido a quem está no comando da gangue. Nos dois casos, o maior beneficiário do parecer de Dodge seria quem a nomeou.

Sim, parece, mas a nova procuradora também não amarra definitivamente suas mãos, colocando um “parece” antes da definição – algo esdrúxula, visto que Geddel, está claro, atuava dentro da quadrilha que se referenciava no poder de Michel Temer – como chefe da quadrilha:

“Mesmo em crimes de colarinho branco, são cabíveis medidas cautelares penais com a finalidade de acautelar o meio social, notadamente porque a posição assumida por Geddel parece ter sido a de líder da organização criminosa”, escreveu Dodge.

Sem os espetáculos que marcavam as manifestações de Rodrigo Janot, resta alguma esperança – sem ela, podemos viver? – de que Raquel Dodge esteja, ao contrário do que aparenta, abrindo a porta para a possível delação.

Porque, para ter direito a ela, o “banco Geddel” terá de dizer que não era o chefe, mas o arrecadador e fiel depositário  do verdadeiro chefe da organização criminosa.

Cuja identidade não rende nem mesmo um romance de suspense policial.

Fernando Brito
No Tijolaço

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.