18 de out de 2017

Chile condena 35 militares por sequestro e tortura de mulher grávida durante ditadura

Um juiz no Chile condenou 35 ex-agentes da policia secreta do general Augusto Pinochet pelo sequestro, tortura e desaparecimento forçado de uma mulher grávida em 1976.


Reinalda Pereira estava grávida de cinco meses quando foi morta. Com 29 anos, ela era analista clínica e integrante do Partido Comunista — organização de oposição à ditadura de Augusto Pinochet.

Em 11 de setembro de 1973, o presidente Salvador Allende foi derrubado por um golpe militar liderado por Pinochet que implantou uma ditadura que durou até 1990.

O juiz Miguel Vazquez condenou Pedro Espinoza, Juan Hernan Morales e Ricardo Victor Lawrence a 10 anos de prisão. Outros agentes masculinos e femininos foram condenados a sete anos por envolvimento no crime, enquanto outros foram sentenciados a quatro anos por serem cúmplices.

O juiz determinou que Reinalda foi sequestrada em 15 de dezembro de 1976 e levada a um quartel militar secreto onde foi espancada, torturada e teve seu corpo desaparecido.

Á época de seu desaparecimento, as autoridades da ditadura afirmaram que ela havia fugido para a Argentina e atravessado a Cordilheira dos Andes à pé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.