26 de out de 2017

Bolsonaro e o 'Enola Gay'


A única maneira de lidar seriamente com Bolsonaro e seus seguidores é dar-lhes direta e imediata voz de prisão.

Por quê?

Porque são criminosos: é crime fazer apologia de tortura e de estupro; é crime a prática do racismo e da homofobia.

Além de tais crimes, é ilegítimo valer-se da 'liberdade de expressão' consignada pelo Estado Democrático de Direito para pregar publicamente a sua derrubada (neste sentido, aqueles que o fazem são fascistas).

Portanto, Bolsonaro e semialfabetizados seguidores, OS SENHORES ESTÃO PRESOS, e, pois, em acordo com as garantias constitucionais vigentes, contratem advogados.

Entretanto, há um elemento comum nesses crimes e que em verdade os produz, qual seja, A COVARDIA.

De fato, a covardia – visceral, sanguínea, absoluta – é o que aciona os crimes cometidos por Bolsonaro e corja, vale dizer, tais sujeitos borram as calças diante dos torturados, das mulheres, dos negros e dos homossexuais.

Para dizê-lo de uma vez: Bolsonaro e velhacos são em realidade o avesso do que aparentam em público, não se recusando a cometerem as piores vilanias a cada vez, por exemplo, que uma mulher lhes cruza o caminho e causa neles uma paúra terrível...

Glosemos (gozemos) então: 'BOLSONARO E FÃS TÊM MEDO DE MULHER!'

Todavia, os covardes e criminosos Bolsonaro e acéfalos não fazem a menor ideia de que os 'ideais' pregados por eles não interessam de maneira alguma à fase atual do Capital, vale dizer, o Anarcocapitalismo ('Neoliberalismo') não quer revolucionários, mulheres, negros e homossexuais (ou LGBTs) excluídos do Mercado.

Noutros termos, os indesejáveis por Bolsonaro e sequazes são muitíssimo desejáveis – claro, a título de 'empreendedores/\consumidores/\eleitores' – pelos bancos, pelas indústrias (o que restou delas), pelas mídias, pelos serviços, etc.

Glosemos (gozemos) novamente: 'BOLSONARO E FÃS SÃO INDESEJÁVEIS PELO CAPITAL!'

Caso então decidamos chamar as coisas pelos seus nomes, Bolsonaro e trupe estão pelo menos meio século atrasados, ou seja, eles expressam (ou supõem expressar) o 'modus vivendi' do Capital anterior à Segunda Guerra (1939 – 1945), período no qual o patriarcado e seus componentes 'naturais' (família heterossexual e com muitos filhos também heterossexuais; acentuada hierarquia entre homens e mulheres, favorável aos homens; supremacia econômica dos capitalistas; supremacia racial dos brancos; supremacia religiosa dos católicos, etc) ainda estruturavam, agenciavam e faziam operar as subjetividades, as sociedades e as culturas...

Ora, alguém precisa destapar os ouvidos de Bolsonaro e brucutus e fazê-los ouvir Hiroshima e Nagasaki!

Pois Hiroshima e Nagasaki (06 e 09 de Agosto de 1945) literalmente queimaram o 'modus vivendi' bolsonariano e abriram as portas do inferno da globalização tecnocapitalista, nada mais nada menos.

Desde então o 'Enola Gay' (bombardeiro B-29 que lançou as bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki) sobrevoa os céus do mundo desertado das 'continências' que Bolsonaro e seus escoteiros mirins ainda batem em respeito ao patriarcado...

(Ironicamente o sinistro B-29 estadunidense traz em seu nome o vocábulo 'Gay', remetendo o fardado jeca brasileiro a um de seus mais recorrentes fantasmas.)

Pois é, Bolsonaro e infames: a sanitarista fantasia de vocês foi queimada e as cinzas voaram pelos ares, sem direito sequer à urna fúnebre.

Doravante – acreditem em mim – tudo está sob as asas do 'Enola Gay', o qual esparge alegremente sobre as subjetividades, as sociedades e as culturas o 'ENJOY!' do Capital e da Tecnociência, nada importando se os gozadores cá embaixo ou são homens, ou mulheres, ou pais, ou filhos, ou heterossexuais, ou homossexuais, ou brancos, ou negros, ou católicos, ou protestantes, ou muçulmanos, ou... qualquer coisa!

Logo, Bolsonaro e trupe, a 'supremacia' pregada por vocês não cabe no 'supermarket' capitalista-tecnocientífico, pois ela perdeu o bonde da História: não é mais rentável o bastante discriminar – atenção: em nome de uma suposta 'ordem natural' – e em seguida hierarquizar o que foi discriminado, lançando-se na sarjeta e/ou em campos de concentração (no fundo, são o mesmo) os que se recusam à diferenciação ontológica...

Como não rir?

Ao fim e ao cabo Bolsonaro é o 'Führer' do Exército de Brancaleone, tresloucadamente ignorante do fato de que o que ele defende não é mais defensável por aquilo que ele próprio defende em última instância (o 'capitalismo'), vale dizer, o idiota nada percebeu da dialética que fez com que o Capital, ao expandir-se necessariamente de modo global e transnacional, dissesse adeus ao pré-Capital (anterior à Segunda Guerra) e instalasse via 'Enola Gay' o pós-Capital (posterior à Segunda Guerra).

E vamos combinar: sob o 'Enola Gay' não há volta.

Assim, meus estupefatos leitores, aí estão Bolsonaro e seu Exército de Brancaleone dando água para os burros..., ou deveria eu dizer dando com os burros n'água?

José Marcus de Castro Mattos, Poeta, psicanalista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.