Os pouco mais de dois meses que se passaram entre o dia 2 de agosto e esta quarta, 25 de outubro, foram suficientes para que 11 deputados mudassem suas posições entre a análise da primeira e da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer no plenário da Câmara. Oito  viraram a casaca para, desta vez, decidirem que o processo deveria seguir no Supremo Tribunal Federal (STF). Três fizeram o caminho inverso. Um levantamento feito por The Intercept Brasil nas páginas no Facebook desses parlamentares mostra as duas faces distintas dos políticos em cada momento.

Entre os que agora votaram contra Temer, há desde a incoerência escancarada até uma espécie de estratégia avestruz. Em agosto, quando votaram a favor do presidente, boa parte dos deputados simplesmente ignorou o assunto em suas páginas. Ninguém quis destacar isso no currículo. Agora, com a mudança de rumos, eles fizeram questão de publicar postagens inflamadas em defesa do povo e contra a corrupção. Foi o caso de Abel Mesquita Jr. (DEM-RR), mais conhecido como Abel Galinha. O post desta quarta (25):

Postagem do deputado Abel Galinha após votação de denúncia contra Temer

Já em 2 de agosto, quando votou a favor do presidente, o deputado agora indignado, que pertence à bancada ruralista, postou apenas sobre a sanção de uma medida provisória por Temer, que beneficiaria sua base eleitoral. Nada sobre sua posição em plenário na votação da primeira denúncia. 

Postagem do deputado Abel Galinha em agosto