6 de set de 2017

Eugênio Aragão sobre delações: "O Estado não pode ser malandro"

Foto: Lula Marques
Procurador da República aposentado, que ocupou o cargo de vice-procurador-geral eleitoral em parte do mandato de Rodrigo Janot como procurador-geral da República, Eugênio Aragão defende a nulidade da delação de Joesley Batista. Para ele, Janot deixou de "exercer a chefia do MP". "O Estado não pode ser malandro", diz Aragão, sobre o episódio dos sócios da JBS.

Rodrigo Janot errou?

— Desde o início, ele entregou o controle da Lava-Jato aos colegas. Ele mesmo não esteve à frente. Delegou muito e confiou muito no grupo dele. Ele deveria centralizar tudo e mandar para Curitiba o que entendesse que não é de interesse do Supremo. Afinal, rabo não abana cachorro. Deixou de exercer chefia do MP.

Quais as consequências?

— É caso de nulidade. As delações do Joesley, do Delcídio Amaral e outras. Em todas essas, houve metodologia antiética do MP. A gente não pode trabalhar com esse tipo de sistema. O Estado não pode ser malandro.

As delações têm sido peça-chave na Lava-Jato. Como a operação vai prosseguir?

— A delação não pode ser uma negociação para obter a prova que você quer. As pessoas acabam extorquidas a entregar o que, talvez, nem tenham para entregar. Não se pode exercer pressão sobre testemunhas. Essas delações são tudo, menos voluntárias. Até acredito que Joesley tenha sido exceção. Mas a maioria dos delatores foi oprimida pelas circunstâncias. Não está certo e tem de ser revisto.

Amanda Almeida
No Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.