23 de ago de 2017

Procurador venezuelano apresenta provas de casos de corrupção no Ministério Público

Procurador venezuelano informou que reabrirá casos de corrupção

O procurador-geral da Venezuela, Tarek William Saab, declarou que investigará os casos "enterrados" no Ministério Público. Ele relatou que esse casos serão revistos com promotores que não "pertenciam à rede de corrupção descoberta".

O procurador-geral venezuelano, Tarek William Saab, confirmou nesta quarta-feira que continuará a investigar de casos de corrupção "enterrados" no Ministério Público (MP), durante a gestão da fugitiva ex-procuradora Luisa Ortega Díaz.

"Este Ministério Público, durante a administração da ex-procuradora Luisa Ortega Díaz, anulou seu ânimo para criar uma plataforma para a justiça. Em vez disso, ele se tornou uma máquina, uma indústria para extorquir e perseguir inocentes e supostos culpados para tirar-lhes dinheiro ", disse o procurador.

O procurador mencionou que entre os casos mais conhecidos está o de Cadoex, que disse que "a ação criminal da administração anterior do Ministério Público destinava-se a citar apenas vinte por cento das pessoas físicas, protegendo as grandes empresas que desfalcavam o país ".

Outro dos casos de corrupção destacados pelo procurador foi o de CADIVI, do qual ele enfatizou que o Ministério Público agiu com "negligência premeditada".

Outros casos destacados de corrupção em que o MP incorreu foram: os Documentos do Panamá, a Operação do Movimento de Libertação do Povo (OLP), drogas e denúncias de violações de direitos humanos.

Saab informou que alguns desses casos foram revistos com procuradores que não "pertenciam à rede de corrupção descoberta"; informou ainda  que o Ministério Público trabalhará para se tornar uma nova instituição, onde a verdadeira justiça prevaleça e que naõ seja gerada nenhuma ação de corrupção e extorsão contra o povo venezuelano.

"O que foi perdido em nove anos e meio nós vamos recuperar e essa guerra suja se voltará para aqueles que a promoveram", disse Saab durante a coletiva de imprensa.

No teleSUR

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.