18 de ago de 2017

Liberado pelo STF, Aécio obstrui a justiça no caso Valério, aponta deputado


O empresário Marcos Valério foi intimado a prestar depoimento na Polícia Federal em Belo Horizonte, nesta sexta-feira 18, após a corporação obter informações de que alvos de sua delação premiada estariam se movimentando para aliciar testemunhas apontadas por ele para comprovar suas acusações.

"Ele foi intimado em razão de informações que obtivemos de que a organização criminosa envolvida nas denúncias está tomando medidas com a finalidade de criar obstáculos para essa delação, através da cooptação de testemunhas e outras atuações", afirmou o policial Marcílio Miranda.

Segundo o deputado Rogerio Correia, o mandante é o senador Aécio Neves (PSDB-MG); "Liberado pelo STF, ele continua obstruindo a justiça com sua quadrilha, como sempre", afirma.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a prisão de Aécio, mas o caso ainda não foi colocado em pauta pelo Supremo Tribunal Federal.

Leia, abaixo, reportagem do jornal O Tempo a respeito:

Investigados em delação de Valério tentam 'calar' testemunhas, diz PF

O empresário Marcos Valério foi intimado a prestar depoimento na Polícia Federal (PF) em Belo Horizonte, nesta sexta-feira (18), após a corporação obter informações de que alvos de sua delação premiada estariam se movimentando para aliciar testemunhas apontadas por ele. 

A informação foi divulgada nesta manhã por Marcílio Miranda, delegado regional de combate ao crime organizado em Minas. "Ele foi intimado pela equipe que está fazendo a colaboração dele em razão de informações que obtivemos de que a organização criminosa envolvida nas denúncias está tomando medidas com a finalidade de criar obstáculos para essa delação, através da cooptação de testemunhas e outras atuações", afirmou o policial.

Ainda de acordo com Miranda, o depoimento será gravado, transcrito e encaminhado na segunda-feira (21) ao Supremo Tribunal Federal (STF). "Foi uma ação da contra-inteligência, que identificou que envolvidos estão se movimentando para tentar inviabilizar essa delação. Não temos previsão para acabar o depoimento", completou. 

Valério chegou à sede da PF, no bairro Gutierrez, região Oeste da capital, por volta das 9h40. Ele saiu de Sete Lagoas, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele cumpre pena na Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) da cidade, um tipo de prisão humanizada, em que os próprios presos tomam conta das chaves das celas. 

O advogado do Marcos Valério, Jean Robert Kobayashi, chegou antes de seu cliente ao local. Sem conversar com a imprensa, Kobayashi somente confirmou que o depoimento do ex-empresário faz parte de um acordo de delação premiada.

Marcos Valério foi condenado a 37 anos e cinco meses de prisão pelo envolvimento no escândalo que ficou conhecido como "Mensalão petista". O acordo de colaboração premiada foi assinado no dia 6 de julho e submetido ao Supremo Tribunal Federal (STF) "devido à necessidade de homologação do acordo, por envolver autoridades com prerrogativa de foro". Ainda de acordo com a PF, na ocasião da assinatura do acordo "foi apresentada vasta documentação e prestado depoimento".

No 247

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.